Política

Cassado, Pedra quer denúncia da Coffee Break em ação que reconduziu Bernal

Ele lista nomes de ex-colegas de parlamento

Jessica Benitez Publicado em 24/06/2016, às 18h48

None
pedrala.jpg

Ele lista nomes de ex-colegas de parlamento

O ex-secretário Municipal de Governo e vereador cassado, Paulo Pedra (PDT), quer juntar à ação popular que reconduziu o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), ao Paço, em agosto do ano passado, a denúncia do MPE (Ministério Público Estadual) que deu base à Operação Coffee Break.

Nos autos a defesa do pedetista lista os nomes dos ex-colegas de parlamentos, de empresários e políticos denunciados na apuração. Ele é um dos autores da ação popular ingressada logo depois da cassação de Bernal, em março do ano passado, junto com outros vereadores que até então eram da base aliada.

De acordo com Pedra o pedido é oportuno uma vez que “a denúncia está fundamentada, também, pelo fato de os réus sob o pretexto de se fazer mera oposição política à nova administração e de se apurarem crimes de responsabilidade que foram imputados ao Prefeito dentro de contexto previamente direcionado à cassação de seu mandato”.

A Justiça ainda não de respaldo sobre o pedido. A defesa do ex-vereador já disponibilizou no processo a denúncia apresentada pelo MPE sobre a Coffee Break. À época em que a cassação ocorreu Pedra atuava na Câmara Municipal.

Quando Bernal retornou o nomeou secretário de Governo e Relações Institucionais. Pouco depois ele perdeu o mandato sob acusação de compra de votos em 2012. Este ano pediu exoneração para poder concorrer à eleição, mesmo assim foi nomeado para função de assessor na pasta.

Jornal Midiamax