Política

Carreata contra Dilma teve confusão e motociclista ‘puxado’ em Campo Grande

Policiamento deixou condutores 'perdidos'

Kemila Pellin Publicado em 18/03/2016, às 18h18

None
img-20160318-wa0083.jpg

Policiamento deixou condutores 'perdidos'

Pelo menos oito viaturas da Bptran (Batalhão de Trânsito da Polícia Militar) acompanharam a manifestação dos caminhoneiros, na tarde desta sexta-feira (18), mas ainda sim houve confusão no trânsito durante a carreata que durou pouco menos de uma hora.

Um dos pontos críticos para o policiamento foi o cruzamento das avenidas Ricardo Brandão com a Joaquim Murtinho. O comando do agente de trânsito não foi compreendido por alguns condutores, que tentaram 'furar' o bloqueio da Brandão e cruzar a Murtinho, por onde seguiam os manifestantes. Em determinado momento, um dos agentes chegou a puxar o braço de um motociclista, que desequilibrou e quase caiu.

A autorização para a carreta foi concedida pela Polícia de Trânsito apenas no final da manhã desta sexta-feira (18), deixando pouco tempo para o policiamento se organizar, já que as 13 horas, os manifestantes já estavam se reunindo em frente a Cidade do Natal.

Protesto

Cerca de 110 caminhões participaram de uma carreata, percorrendo algumas das principais avenidas de Campo Grande, em protesto ao atual governo, durante o começo da tarde desta sexta-feira (18). Além de pedirem pela saída da presidente Dilma Rousseff, os manifestantes 'clamaram' por melhorias nas rodoviais federais e preço mais justo nos combustíveis.

Jornal Midiamax