Política

Candidatos fazem promessas a professores em sabatina na ACP

Dos 15 candidatos, 13 estiveram presentes

Midiamax Publicado em 13/09/2016, às 17h15

None
acp.jpg

Dos 15 candidatos, 13 estiveram presentes

Instituir eleição para diretores nas escolas municipais de Campo Grande, assim como no IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), colocar o salário dos docentes de acordo com o piso nacional para 20h, cumprindo a lei 5.411, e descentralizar a distruibição da merenda escolar.

Estes foram os principais pedidos da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), feita pelo professor e presidente Lucílio Nobre em sabatina realizada nesta manhã. Na ocasião, os 13 candidatos a prefeito da Capital, presentes no local, se comprometeram a colocar em prática.

A associação realizou o evento entre os candidatos a prefeito de Campo Grande nesta manhã. Dos 15 que disputam a prefeitura, 13 estiveram presentes. Adalto Garcia, do PSDC e Pedro Pedrossian Filho, do PMB, não compareceram. Segundo a mediadora, jornalista Débora Alves, Adalton informou que não iria com antecedência, mas Pedrossian Filho não avisou, tanto que o nome dele era sorteado por diversas vezes durante o evento.

Estiveram presente, Alcides Bernal (PP), Marquinhos Trad (PSD), Athayde Nery (PPS), Elizeu Amarilha (PSDC), Rosana Santos (PSOL), Suél Ferranti (PSTU), Flavio Arce (PCO), Rose Modesto (PSDB), Alex do PT (PT), Marcelo Bluma (PV), Coronel David (PSC), Aroldo Figueiró (PTN), Lauro David (PROS).

O evento eleitoral se deu início com os candidatos falando o que pretendiam fazer pela educação, caso fossem eleitos. Todos falaram da questão do piso e na eleição de diretores das escolas, além de outras propostas. Em meio as falas, o atual prefeito Bernal foi vaiado por diversas vezes, já que o público era, em sua maioria, de professores, já que Campo Grande não paga o piso até então.

Bernal justificou que quando assumiu, as escolas estavam sucateadas e a prefeitura falida. Ele alega que já fez muito do que outros governos de PSDB e PMDB. O prefeito ainda destacou que deu reajuste de 3,81%, já que os 9,57% não foi aceito pela Câmara.

No segundo bloco foram expostas perguntas de escolas da Capital, enviadas anteriormente, no terceiro foi feita, no terceiro um perguntou para o outro, em seguida professores presentes forma sorteados para fazer perguntas para os candidatos e por último eles fizeram suas considerações finais.

Esta finalização foi feita após as considerações e exposição de metas feitas por Lucílio. Na ocasião, o presidente da ACP disse que era bom o calor da ocasião para eles verem a situação que os professores passam nas escolas, assim como as cadeias que estavam sentados.

Ao falara, todos se comprometeram a cumpris as metas destacadas pelo presidente da ACP, alguns ainda diziam que isso é prioridade. Coronel David, por exemplo, disse que no primeiro dia em que for empossado, irá pagar o piso salarial para os professores.

David chegou as ser vaiado por dizer que seu partido apoia a lei da mordaça, que criou grande polêmica na cidade. Como foi vaiado, ele disse na sequencia, que seu partido apoia, mas ele é democrático.

Em oura ocasião, ainda houveram ataques a governos municipais anteriores, citando fatos não executados pelo grupo Trad. nesta ocasião, Marquinhos Trad, irmão do ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB), pediu direito de resposta, mas não foi concedido pelo fato de que Nelsinho não é mais do PMDB, como era na época de chefe do executivo e este não é da coligação de Marquinhos.

Marcelo Bluma disse, em uma de suas falas que não tinha nenhum problema com Bernal, assim como os demais candidatos, mas sim politicamente. Bluma ainda disse que concorda que o prefeito pegou a cidade em situação ruim, mas que ele não teve competência para administrar.

Bernal pediu direito de resposta. Ele disse que incompetente é aquele que não resolve os problemas e ele resolveu muito, diferente de seus antecessores do PSDB e PMDB. Houve um momento também que Coronel David e Alcides Bernal demonstraram estarem debatendo na cadeira, já que estavam um ao lado do outro, a mediadora disse em alto e bom som que o debate é para plateia e não entre vocês.

Jornal Midiamax