Política

Bernal evita falar de eleição, mas se reúne com partidos e pode causar racha

Segundo ele, siglas querem 'aliança progressista'

Jessica Benitez Publicado em 22/06/2016, às 19h17

None
reuniaobernal.jpg

Segundo ele, siglas querem 'aliança progressista'

Embora diga que não quer falar em eleição antes do período das convenções, nem confirmar se será candidato à reeleição, o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), se reuniu com representantes do PDT, PPS, PCdoB e PTC. Ele alega que todos foram propor aliança com o PP encabeçando a chapa. Fato que pode indicar racha em determinadas cúpulas, tendo em vista que tanto o PPS quanto o PDT trabalham com nomes de pré-candidatos próprios.

“Recebi o pessoal do PPS interessado em manter aliança na Capital. O PCdoB, PTC e PDT também querem estabelecer aliança progressista para Campo Grande”, disse ao Jornal Midiamax. Questionado sobre o PP ser o cabeça de chapa, ele disse que foi o que propuseram. “Me senti lisonjeado e aumenta a responsabilidade, mas tratarei disso a partir de época das convenções partidárias”, completou.

Do PPS estiveram na reunião a vereadora Luiza Ribeiro e o ex-diretor da Funsat (Fundação Social do Trabalho) Aldo Donizete que pediu exoneração do cargo em março deste ano justamente para lançar candidatura a vereador. O presidente do partido, Athayde Nerys, no entanto, deixou a Secretaria Estadual de Cultura para disputar o comando da Capital e, consequentemente, pode enfrentar Bernal nas urnas.

O mesmo ocorre no PDT que trabalha com os nomes do presidente regional e deputado federal Dagoberto Nogueira e o da ex-vereadora Tereza Nami para investir na corrida pelo Paço. Mesmo assim o ex-secretário municipal de Governo e vereador cassado, Paulo Pedra, esteve na reunião.

O prefeito recebeu também o dirigente regional do PTC Cezar Renato Gazola e Mario Fonseca do PCdoB. O PT, que pode lançar o vereador Marcos Alex à Prefeitura, também já se manifestou interessado em aliança com o PCdoB e PDT. Segundo o deputado federal e governador do Estado, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, disse que os diálogos já começaram.

Jornal Midiamax