Política

Bernal esquece 2012 e acusa DATAmax de beneficiar seus adversários

Instituto acertou números no último pleito municipal

Jessica Benitez Publicado em 30/08/2016, às 23h09

None
bernal_la.jpg

Instituto acertou números no último pleito municipal

O prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) esqueceu dos resultados apontados pelas pesquisas do Instituto DATAmax e confirmados pela eleição tanto no primeiro turno quanto no segundo. Agora, ele opina que os percentuais são para beneficiar os candidatos Marquinhos Trad (PSD) e Rose Modesto (PSDB).

Questionado sobre a última amostragem divulgada, na qual ele aparece com 14,30%, tecnicamente empatado com a tucana que tem 13,18% da intenção de votos, ambos atrás de Marquinhos que configura 28,11%, ele respondeu ser “absurdo praticado pelo DATAmax para beneficiar Rose e Marquinhos Trad”.

Os quase quatro anos que se passaram desde que ele se candidatou ao cargo que foi eleito. Em 2012, ao contrário do que grande parte dos institutos apontavam, o DATAmax acertou nos dois turnos. Faltando dez dias para a eleição daquele ano, Bernal tinha 33,1% das intenções de voto contra 30,3% do candidato governista, Edson Giroto (PR), à época PMDB.

Faltando dois dias para o pleito o instituto mostrava o então deputado estadual do PP com 39% da preferência do eleitor. O cenário, excluindo os votos brancos, nulos e os indecisos, o colocava com 45,9%. O postulante peemedebista vinha atrás com 26,4%. No primeiro turno de 2012, Bernal teve 40,18% e Giroto 27,99%.

No segundo turno, faltando apenas um dia para a votação, segundo o DATAmax, o atual prefeito tinha 66,06% e o adversário 33,94%. Nas urnas Bernal fez 62,55% e Giroto 37,45%, diferença insignificante entre pesquisa e real resultado levando em conta os 3 pontos para mais ou para menos.

Vale ressaltar que as amostragens seguem rigoroso padrão e qualidade e têm os dados abertos a todas coligações, além de serem devidamente registradas no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul).

Jornal Midiamax