Política

Azambuja diz que reforma da previdência de Temer deve ser aprovada

Presidente irá enviar projeto ao Congresso

Midiamax Publicado em 07/09/2016, às 16h36

None
img_4590-672x372.jpg

Presidente irá enviar projeto ao Congresso

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) falou após o desfile de 7 de Setembro, ocorrido na manhã desta quarta-feira (7), sobre o projeto da reforma na presidência, que o presidente Michel Temer (PMDB) vai enviar ao Congresso Nacional. Segundo Azambuja ele espera que os deputados entendam que isso é necessário para o crescimento e instabilidade do Brasil.

“Previdência é crucial para equilíbrio das contas públicas brasileiras. É algo necessário. Acho que essa pauta do presidente Michel Temer deva ser encaminhada e a gente espera que o Congresso possa tomar atitude de entender que isso e necessário para o crescimento e instabilidade do país”, disse Azambuja.

Reinaldo ainda destacou que é um assunto importante para os estados e para todo o Brasil. “A gente sabe que é um tema polêmico perante a sociedade, agora o pais não pode conviver com esse deficit crônico da previdência, tanto a nível federal como estadual”.

O governador também destacou que isso pode trazer o equilíbrio das contas. “Nós temos que fazer esta reforma para gente ter um equilíbrio, pois quem paga é a sociedade, então é uma pauta que eu entendo, reforma da previdência, como aprovar o teto de limite do gatos, é importante para o equilíbrio das conta publicas. Não dá para o país continuar com esse deficit exorbitante. Isso prejudica o país”.

Projeto

Aconselhado pela área econômica e pela Casa Civil, o presidente Michel Temer decidiu encaminhar a proposta de reforma da Previdência para o Congresso ainda neste mês de setembro, antes do primeiro turno das eleições municipais. A decisão foi tomada nessa terça-feira (06), dia em que o peemedebista voltou de sua viagem à China.

Mesmo sendo enviada agora, na prática, a reforma só deverá começar a tramitar de fato no fim do ano. Apesar da resistência de parte dos congressistas, aliados de Temer admitem que irão acatar a decisão e prometem trabalhar pela aprovação da proposta. Informações do Jornal Folha de São Paulo.

Quando a proposta for enviada ao Congresso, o Executivo lançará uma campanha publicitária de esclarecimento e defesa da reforma. A ideia é fixar uma idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e mulheres. As novas regras vão valer para homens com idade de até 50 anos. No caso de mulheres e professores, até 45 anos. Acima destas faixas etárias, será criado um período de transição para quem está perto de aposentar.

Jornal Midiamax