Política

Audiência com Bernal e Nelsinho para resolver impasse sobre lixão acaba sem acordo

Sessão era sobre suspensão do aterro sanitário

Jessica Benitez Publicado em 19/12/2016, às 17h53

Foto: Arquivo/Midiamax
Foto: Arquivo/Midiamax - Foto: Arquivo/Midiamax

Sessão era sobre suspensão do aterro sanitário

Acabou sem acordo audiência de conciliação entre o MPE-MS (Ministério Público Estadual) e 15 denunciados, entre eles o prefeito Alcides Bernal (PP), o ex-prefeito Nelson Trad Filho (PTB) e a CG Solurb, marcada pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho que cuida do caso.

A ação, do final de 2013, pede suspensão imediata do aterro sanitário, à época recém inaugurado, além de solicitar a reativação do lixão. Nos autos ainda não há o motivo pelo qual a reunião acabou sem acordo, mas dias antes alguns denunciados informaram que não poderiam comparecer.

O magistrado já havia antecipado que, caso não houvesse conciliação, seria feita a deliberação sobre os embargos ingressados por Nelsinho e outros envolvidos em abril deste ano.O trâmite estava parado até o momento.

O responsável pela ação é o promotor de Justiça Eduardo Cândia e também estão representados o ex-secretário Semy Alves, a atual diretora-presidente da Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande) Ritva Vieira e o ex-líder da pasta Marcelo Bonfim, João De Marco, Ivan Pedro Martins, Frederico Luiz de Freitas Júnior e Inaia Telles Nepomuceno e a empresa Anfer Construções e Comércio.

Jornal Midiamax