Política

Antonieta volta e critica PMDB fora da disputa em Campo Grande

Deputada ficou 120 dias de licença após sofrer aneurisma

Celso Bejarano Publicado em 02/08/2016, às 13h41

None
img-20160802-wa0001_editada.jpg

Deputada ficou 120 dias de licença após sofrer aneurisma

Foto: Mariana Anjos

Depois do afastamento por quatro meses, a deputada estadual Antonieta Amorim, do PMDB, retomou os trabalhos de plenário, na manhã desta terça-feira. Ela sofreu um aneurisma e teve de se submeter a uma cirurgia na cabeça. “Estou firme e forte”, disse a parlamentar, que criticou o fato de o PMDB ter ficado de fora da disputa pela prefeitura de Campo Grande.

“Não fiquei feliz, mas vamos obedecer a decisão do partido”, afirmou a peemedebista que, até agora, não definiu apoio a nenhum dos candidatos que concorrem à prefeitura.

O PMDB não firmou alianças e liberou integrantes da legenda a apoiarem candidatos de suas preferências.Antonieta volta e critica PMDB fora da disputa em Campo Grande

Antonieta disse ter vindo de São Paulo, onde ficara internada no hospital Alberto Einsten e, já no fim de semana, viajou para o interior do Estado, onde fez campanha aos candidatos do PMDB local.

Antonieta afirmou ter ido às cidades de Guia Lopes da Laguna, Bela Vista, Bonito, Jardim e Bodoquena.

Quanto à questão da saúde, a deputada disse que daqui em diante deve retornar ao consultório médico para fazer “exames de rotina”, apenas.

Antonieta rejeitou à ideia de que o PMDB deixou de lançar candidatura própria por temer efeitos das últimas operações, a Lama Asfáltica, da Polícia Federal, e Coffee Break. Nas duas investigações o nome do principal nome da sigla, o ex-governador André Puccinelli, aparece como um dos implicados. Ela afirmou que o partido deixou de concorrer não pelas operações e que, no final das apurações, “tem certeza que nada será provado” contra os membros da legenda.

Jornal Midiamax