Política

Andrea Olarte está tranquila e receberá visita de pastor, diz Agepen

Atendimento religioso foi solicitado pela família

Midiamax Publicado em 16/09/2016, às 20h03

None
casal_olarte.jpg

Atendimento religioso foi solicitado pela família

Andrea Olarte completa, nesta sexta-feira (16), exatos 32 dias dias que está presa, e, segundo a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) nenhum comportamento inadequado ou qualquer reclamação teve envolvimento de seu nome. A única solicitação feita pela ex-primeira dama e que já está autorizada pela Agência, é a visita de um pastor para atendimento religioso.

De acordo com o presidente da Agepen, Ailton Stropa, Andrea não apresentou nenhum problema desde que foi transferida para uma cela no presídio feminino Irmã Irma Zorzi, onde ocupa uma cela para lactantes. “ Não apresentou nenhuma dificuldade. Não há registro de qualquer alteração, nem problemas com as detentas, até porque, no caso dela (motivo da prisão), não costuma dar problema mesmo”.

O presidente mencionou que “um comportamento dificultoso” por parte de Andréa chegou a ser esperado pelos agentes, mas ressaltou o bom comportamento da ex-primeira dama. “Ela está tranquila”, disse.

Sobre recebimento de visitas, Stropa afirmou que houve uma solicitação da família para a visita de um pastor, para atendimento religioso. “Ainda não sei o dia certo que vai acontecer. De qualquer forma, está autorizado. É uma única visita. Será um pastor que presta atendimento em todos os presídios e foi contatado pela família”, explica. Outras visitas ainda não foram permitidas, segundo o presidente da Agepen.

Durante os dias de cárcere, Andrea e o marido, o ex-prefeito Gilmar Olarte, tentaram duas vezes habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça), porém sem sucesso. Agora o casal aguarda decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). O pedido está no gabinete da presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

Conforme o MPE-MS (Ministério Público Estadual), o casal branqueou recursos obtidos por meio de corrupção, passou a influir direta e ostensivamente na manipulação das provas alterando declaração de imposto de renda, adequando lastro patrimonial e, ainda, ocultando propriedade de imóveis com auxílio do corretor de imóveis Ivamil Rodrigues, que também está preso. O empresário Evandro Farinelli está na mesma situação.

Jornal Midiamax