Política

Vereadores investigados em Comissão de Ética serão notificados quinta-feira

Segundo presidente, prazo de defesa é de dez dias 

Heloísa Lazarini Publicado em 14/10/2015, às 17h33

None
Vereador João Rocha, presidente da Comissão/Foto: Arquivo Midiamax

Segundo presidente, prazo de defesa é de dez dias 

Os nove vereadores investigados pela Comissão de Ética da Câmara de Campo Grande vão receber nesta quinta-feira (15) notificação oficial sobre denúncias de quebra de decoro. As notificações serão entregues por equipes da Procuradoria Jurídica da Câmara.

Segundo o presidente da Comissão, vereador João Rocha (PSDB), os parlamentares terão dez dias para apresentar, defesa por escrito. Na reunião que aconteceu na manhã desta quarta-feira (14), os membros da Comissão definiram vereador Airton Araújo (PT) como relator. Além do petista, fazem parte da Comissão: João Rocha (PSDB), presidente; Chiquinho Telles (PSD), vice-presidente; Vanderlei Cabeludo (PMDB) e Herculano Borges (SD). 

A Comissão investiga conduta de parlamentares suspeitos de participar de esquema de compra de votos para cassar mandato do prefeito Alcides Bernal (PP), em março de 2014. Segundo Rocha, o trabalho dos vereadores da Comissão, neste momento, está centrado em analisar documentação enviada pelo Procurador Geral de Justiça, Humberto de Matos Brittes, que faz parte da Operação Coffee Break. O presidente descarta solicitar ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) entrega dos laudos da perícia realizada em celulares dos parlamentares e do prefeito afastado Gilmar Olarte. 

Embora a credibilidade da Comissão tenha sido colocada em dúvida por alguns parlamentares e também pela população, João Rocha garante que trabalho é técnico e nega influência política. “Precisamos ser técnicos, não vamos condenar nem inocentar antecipadamente”. O vereador explica que após terminado prazo de dez dias, Comissão vai analisar defesa de cada um dos vereadores e depois fica a cargo do vereador Airton Araújo apresentar relatório.

São investigados os vereadores: Mario Cesar (PMDB), Paulo Siufi (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB), Airton Saraiva (DEM), Jamal Salem (PR), Gilmar da Cruz (PRB), Chocolate (PP) e Edson Shimabukuro (PTB) e Carlão (PSB).

Jornal Midiamax