Política

Vereador comemora decisão que negou seu afastamento: “Justiça é soberana”

Decisão saiu nesta segunda-feira

Midiamax Publicado em 23/11/2015, às 15h11

None
chiquinho.jpg

Decisão saiu nesta segunda-feira

“Da minha parte não houve coação”, disse o vereador Chiquinho Telles (PSD), ao comentar sobre a decisão da Justiça que o livrou do afastamento do cargo. Nesta segunda-feira (23), o juiz José Henrique Neiva publicou decisão que rejeita o pedido do MPE-MS (Ministério Público Estadual), que solicitada o afastamento de oito vereadores.

A ação é desdobramento da Operação Coffee Break, que investiga suposto esquema para cassar o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em 2014. O pedido teve como base o depoimento da vereadora Luíza Ribeiro (PPS), no qual ela cita suposto esquema de pagamento de propina aos legisladores desde o mandato do ex-governador André Puccinelli (PMDB), ainda como prefeito de Campo Grande.

Com o vazamento de seu depoimento, gravado em vídeo, os promotores responsáveis pelo caso disseram que Luíza poderia ser coagida pelos colegas. O vazamento do vídeo provocou a ira dos parlamentares, na ocasião.

“Sempre acredito na Justiça, que é soberana”, disse Chiquinho. Ele afirma que nem ele, nem os demais parlamentares, pelo que ele sabe, coagiram a vereadora. A ação pedia o afastamento dos vereadores João Rocha (PSDB), Chiquinho Telles (PSD), Airton Saraiva (DEM), Carlos Borges (PSB), Vanderlei Cabeludo, Carla Stephanini, Paulo Siufi, ambos do PMDB, além do presidente em exercício na Câmara Municipal, Flávio César (PTdoB).

Jornal Midiamax