Política

Vereador acusa outro de grilagem e caso será analisado pela Comissão de Ética

Comissão decidirá se houve quebra de decoro parlamentar

Midiamax Publicado em 19/05/2015, às 18h33

None
camara.jpg

Comissão decidirá se houve quebra de decoro parlamentar

Um vereador acusou o outro de grilagem durante sessão na Câmara de Corumbá (a 420 quilômetros da Capital). O caso será analisado pela Comissão de Ética da Câmara. Se a comissão decidir que houve quebra de decoro parlamentar, será aberta comissão processante que pode cassar o vereador que fez a acusação.

Durante a última sessão, no dia 12 de maio, o vereador Buxexa Amaral (PHS) acusou o vereador Evander Vendramini (PP) de grilagem de terras, declarando que o colega invadia áreas ambientais em Corumbá e região.

Evander diz ter esperado a sessão desta segunda (18) para Buxexa se retratar, o que não aconteceu. “Como ele não se retratou, fiz denuncia para a Comissão de Ética por quebra de decoro parlamentar”. O vereador alega ter sido obrigado a registrar a denúncia.

“Ele me acusou de algo que não fiz. Se deixo por isso mesmo, fico conivente com a fala dele. Ele tem que provar as acusações dele”, ressaltou. Evandar ainda frisou que caso Buxexa se retrate, a denúncia será retirada imediatamente.

Vereador mantém acusação e diz que vai provar

Buxexa também falou com o Midiamax e garantiu que vai provar a sua acusação no Plenário na noite desta terça-feira (19). “Vou provar hoje o que eu disse para ele. O que o vereador Evander está fazendo é imoral, está se aproveitando de idosos para ter terras”, apontou.

Comissão aguarda documentos

Segundo o presidente da Câmara, vereador Tadeu Vieira (PDT), a Casa de Leis aguarda as documentações finais para encaminhar a denúncia para a Comissão de Ética. “Falta a cópia da gravação da fita e a ata da sessão”, explicou.

Tadeu diz acreditar que até o fim desta semana os documentos serão entregues. “Assim que a Comissão de Ética receber a denúncia completa ela vai analisar se houve a quebra de decoro e se sim, será instaurada comissão processante contra o vereador Buxexa”.

Jornal Midiamax