Política

‘Tem que perguntar ao eleitor’, diz líder sobre imagem do PMDB após ‘caso Gisa’

Ex-prefeito peemedebista da Capital foi denunciado à Justiça

Midiamax Publicado em 25/02/2015, às 14h24

None
amarildo_al.jpg

Ex-prefeito peemedebista da Capital foi denunciado à Justiça

“Tem que perguntar para o eleitor”, disse na manhã desta quarta-feira (25) o líder do PMDB na Assembleia Legislativa, Eduardo Rocha, sobre denúncias levadas à Justiça contra o ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad em relação a fraudes na implantação do Gisa (Gerenciamento de Informações Integradas de Saúde). Na visão do parlamentar, o partido não tem a imagem afetada devido ao episódio.

Segundo Rocha, o caso “desgasta a pessoa, porque cada um responsável por suas atitudes”. “Se pudesse não haver denúncia, seria melhor. Quem tem que fazer algo é quem foi denunciado”, conclui o deputado.

Rocha comentou, ainda, ter conversado com Nelsinho sobre o assunto. Na ocasião, o ex-prefeito teria dito que 80% da implantação do Gisa estava concluída e, ainda, 50 pessoas haviam sido contratadas para trabalhar com o sistema.

Marquinhos Trad, irmão de Nelsinho, também acha que não sofrerá influencia negativa no caso. “Seus dedos são iguais? Um é diferente do outro, não tem porque vincular esta denúncia a mim”, analisa o deputado peemedebista, dizendo que os envolvidos é quem devem responder em relação ao assunto.

“Eu talvez seja a pessoa que mais falou sobre isso. Está acontecendo exatamente o que eu falei que ia acontecer, por conta de todos os elementos que tínhamos na investigação”, resumiu Amarildo Cruz (PT), que presidiu a CPI da Saúde na Assembleia, na qual, entre outras coisas, foi investigada a situação do Gisa.

O petista lembra que os levantamentos da CPI subsidiaram a CGU (Controladoria Geral da União) e o MPF (Ministério Público Federal). Além de Nelsinho, o ex-secretário de Saúde da Capital e atual deputado federal Luiz Henrique Mandetta e mais 24 pessoas foram denunciadas pela Procuradoria à Justiça.

Jornal Midiamax