Política

Sem plataforma de cursos, agentes prometem manifestações diárias

Protestos serão realizados na frente da Prefeitura

Midiamax Publicado em 28/10/2015, às 13h34

None
tabosa.jpg

Protestos serão realizados na frente da Prefeitura

Sem a plataforma que disponibiliza os cursos online, os agentes comunitários de saúde prometem fazer manifestações diárias na frente da Prefeitura de Campo Grande a partir desta quarta-feira (28).

Conforme o presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), Marcos Tabosa, a plataforma que disponibiliza os cursos on-line não estão funcionando e com isso, os agentes têm de cumprir oito horas de trabalho nas ruas.

“A partir de hoje vamos fazer manifestações todos os dias na frente da Prefeitura porque a gestão atual não aceita nada de bom que foi deixado pelo prefeito anterior. Os servidores estão sendo ameaçados e pressionados por essa gestão ditadora, que é a marca do Bernal [Prefeito de Campo Grande]”, afirma.

De acordo com as informações, cerca de 400 agentes comunitários de saúde deveriam participar dos cursos online. O presidente do Sisem afirma ainda que a decisão sobre as manifestações foi votada nessa terça-feira (27), durante assembleia realizada na sede do Sindicato.

Aproximadamente 250 agentes comunitários de saúde participaram da reunião. “Vamos continuar trabalhando das 7 às 13 horas e faremos as manifestações a partir das 15 horas”, frisa.

Segundo dados do Sisem, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) conta com 1.500 agentes comunitários de saúde, 210 agentes de combates a endemias e 420 agentes de saúde pública. A média salarial dos agentes comunitários de saúde é de R$ 1.014,00 podendo chegar a média de R$ 1.700,00 considerando os benefícios.

Jornal Midiamax