Política

Sem candidato, líder do PMDB já fala em apoiar outro partido em Campo Grande

Marun é o único interessado na disputa

Midiamax Publicado em 06/11/2015, às 10h29

None
_mg_5757.jpg

Marun é o único interessado na disputa

O PMDB definiu, durante a última reunião do diretório estadual, que o partido terá candidatura própria em Campo Grande no ano que vem. Até então o partido contava com a possibilidade da candidatura de Marquinhos Trad (PMDB). Porém, o deputado avisou, definitivamente, nesta semana, que não pretende concorrer pelo PMDB e deve se desfiliar.

Sem Marquinhos, lideranças já cogitam desistir da candidatura própria em Campo Grande, o que pode mudar os planos do partido. O líder do PMDB na Assembleia, Eduardo Rocha, entende que a decisão caberá mais aos vereadores, mas não descarta mudança nos planos.

“Se o partido não tem nome, tem que unir força. Vamos conversar. Quem vai ser candidato tem que ter peso, ser forte. Tem que ter um nome com respaldo popular e densidade eleitoral até para alavancar as candidaturas na proporcional (para vereadores)”, opinou.

Com a desistência de Marquinhos, Marun se tornou o candidato mais cotado para concorrer. Não pelo favoritismo em pesquisas de opinião, mas por ser um dos poucos interessados na disputa. Outras lideranças já avisaram o partido que não aceitam concorrer, o que tem dificultado a vida do presidente Junior Mochi, que empurrou a decisão para março do ano que vem.

O ex-governador André Puccinelli (PMDB), e os senadores Simone Tebet (PMDB) e Waldemir Moka (PMDB) chegaram a ser citados como possíveis candidatos, mas trataram de dizer não. Simone foi a única que deu esperanças, ainda que tenha colocado outras pessoas como preferência.

Simone citou Moka, Puccinelli, Marquinhos e Marun entre os favoritos e quando questionada sobre a preferência por mulheres, também correu. A senadora disse que antes dela ainda devem pensar na ex-primeira-dama do Estado, Beth Puccinelli , e na deputada estadual Antonieta Amorin.

Antes da Coffee Break os vereadores Mario Cesar (PMDB) e Paulo Siufi (PMDB) também eram citados como candidatos, mas hoje em dia pouco são lembrados quando o assunto é candidatura a prefeito. Mario já revelou até que não disputa a reeleição. A operação está em fase final e investiga possível compra de votos para cassar Alcides Bernal. Edil Albuquerque também está entre os investigados, mas não é candidato.

Jornal Midiamax