Política

Reinaldo lança Caravana da Saúde para reduzir espera por cirurgias

Atendimento começará dia 29 pela cidade de Coxim

Midiamax Publicado em 16/03/2015, às 22h09

None
img-20150316-wa0158.jpg

Atendimento começará dia 29 pela cidade de Coxim

A Caravana da Saúde, lançada nesta segunda-feira (16), pelo governo de Mato Grosso do Sul, tem como meta diminuir a fila de espera por cirurgias e consultas médicas nas cidades do interior do Estado, e também na Capital Campo Grande.

Para acabar com a espera 4 carretas percorrerão os municípios de Coxim, Aquidauana, Campo Grande, Jardim, Corumbá, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas e realizar 18 mil cirurgias. A maioria delas, 16.500, será de intervenção nos olhos. O atendimento da Caravana da Saúde começará no dia 29 de março pela cidade de Coxim, no Norte do Estado, onde deve permanecer por até 15 dias.

“O objetivo é zerar o déficit de cirurgias. A caravana conta com a participação do Estado, da União e também dos municípios e ainda será feita uma auditoria com estudo em cima de cada pedido para garantir a transparência”, assegurou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

 Além das intervenções, a população poderá contar ainda com consultas odontológicas, realizar exames de tomografia computadorizada, mamografia, raio-x e procedimento mais simples como testes de glicemia e exames de sangue.

A caravana faz parte do projeto do Governo de descentralizar a saúde e desafogar o maior hospital do Estado, a Santa Casa de Campo Grande. Segundo o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Juvenal Neto (PSDB), o setor é um dos mais preocupantes das cidades. Conforme Neto as Prefeituras investem de 25 a 30% da receita corrente líquida somente na saúde.

“A caravana ajuda principalmente nas necessidades de atendimentos de pequena e médica complexidade”, observa.

O prefeito de Coxim, Aluizio São José (PSB), comenta que, em média, 60 moradores da cidade saem de suas casas para vir a Campo Grande para fazer hemodiálise.

“Ainda temos muitas necessidades, principalmente de infraestrutura. Por causa disto centenas de pessoas precisam sair constantemente da cidade para ir a Capital”, pontua.

Investimentos

A Caravana da Saúde deve também contar com investimento da Assembleia Legislativa do Estado. O presidente da Casa de Leis, Junior Mochi (PMDB), participou da solenidade de hoje e prometeu reduzir os custos do Legislativo e contribuir com a devolução do duodécimo para auxiliar o Estado a aprimorar a saúde pública.

Luiz Henrique Mandetta (DEM), também esteve no evento representando a bancada federal do Estado em Brasília e reforçou o empenho dos parlamentares na liberação de R$ 82 milhões em emendas para a saúde do Estado. Semana passada, na Capital Federal, o projeto da caravana foi apresentado ao ministro da Saúde, Arthur Chioro (PT), por Reinaldo Azambuja no intuito de angariar aporte para custeá-lo. Apesar de não ter tido retorno ainda, segundo o governador, o ministrou mostrou-se sensível a ideia.

Jornal Midiamax