Política

Prisão é ‘absurda’, diz defesa de Amorim em recursos ao TJ e STJ

Empreiteiro está no Garras desde a tarde de quinta

Midiamax Publicado em 02/10/2015, às 12h18

None
advogado.jpg

Empreiteiro está no Garras desde a tarde de quinta

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) recebeu, na manhã desta sexta-feira (2), habeas corpus de João Alberto Krampe Amorim dos Santos, dono da Proteco Construções, preso temporariamente deste a quinta-feira (1º) em decorrência da Operação Coffee Break. Recurso semelhante também tramita no TJ (Tribunal de Justiça).

Conforme consta, a defesa de Amorim protocolou o recurso às 8h13 desta sexta (horário de MS). Até o momento, consta que o processo está em classificação, ou seja, prestes a ser entregue a uma autoridade judiciária, não havendo decisão.

No TJ, o habeas corpus foi apresentado ainda na quinta ao Órgão Especial, sob relatoria do desembargador Fernando Moreira Marinho. O mesmo magistrado, ainda ontem, mandou recurso semelhante, em relação a Gilmar Olarte (PP), para o STJ – o processo ainda não consta nos sistemas desta instância – analisando ser de competência da corte superior o julgamento.

Amorim está em uma cela no Garras, em Campo Grande. No recurso levado ao TJ, os advogados do empreiteiro alegam ilegalidade da decisão, apontando “caso tão emblemático e absurdo de decretação de uma prisão de caráter cautelar sem qualquer motivação idônea”.

“O paciente sempre esteve à disposição das autoridades e em momento algum colocou qualquer embaraço às investigações”, traz a petição. Após argumentação, os advogados concluem que Amorim “não oferece risco algum à investigação”. 

Jornal Midiamax