Política

Prefeito espera que conciliações evitem novo parcelamento de salários

Avaliação da medida será feita no fim do mês

Midiamax Publicado em 10/08/2015, às 16h54

None
prefeito_protesto1.jpg

Avaliação da medida será feita no fim do mês

A Prefeitura de Campo Grande espera que receita proveniente do Mutirão da Conciliação, programa de regularização de débitos junto ao município, evite o parcelamento da folha de pagamento dos servidores municipais no próximo mês. Avaliação neste sentido deverá ser feita até o fim de agosto, segundo disse nesta segunda-feira o prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP).

Este mês, a folha de julho está sendo paga em parcelas, que começaram no dia 7 e vão até o dia 21, de forma escalonada, do menor para os maiores valores. Reflexo, segundo o município, da crise financeira atual.

Durante ato na sede da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) nesta manhã, Olarte falou que a folha do funcionalismo municipal custa atualmente R$ 96,7 milhões, mas em março, por exemplo, foi de R$ 108 milhões. Ainda assim, ressalta o prefeito, é preciso reduzir este custo em mais R$ 10 milhões.

“Agora não é o momento (de estabelecer que a folha de agosto será parcelada), estamos tendo conciliações positivas, vamos fazer uma avaliação no fim do mês e, antes do dia 30, informar os servidores. Mas, não queremos que isso aconteça”, diz Olarte. O Mutirão da Conciliação começou no dia 5 de agosto e, conforme estimativas preliminares, pode injetar até R$ 400 milhões nos cofres municipais.

Jornal Midiamax