Política

“Não mato ou morro por eleição”, rebate prefeito de Corumbá a Zeca do PT

Zeca culpou o dirigente pela saída de Ruiter Cunha do PT

Jessica Benitez Publicado em 19/06/2015, às 17h44

None
paulo_duarte_divulgacao.jpg

Zeca culpou o dirigente pela saída de Ruiter Cunha do PT

Em tom brando, o prefeito de Corumbá e presidente regional do PT, Paulo Duarte, disse não entender a declaração do deputado federal e ex-governador do Estado, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, em relação à saída do ex-prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira, da cúpula petista. Para o dirigente não passa de tentativa de jogá-lo no meio da briga que existe entre Zeca e o senador Delcídio do Amaral. 

O ex-governador culpou a falta de ação de Delcídio e Duarte em impedir a saída do correligionário que, inclusive, pode migrar ao PSDB e disputar com o atual prefeito o comando da cidade. “Acho que isso é uma questão pessoal do Zeca. Fui eleito para administrar Corumbá e é muito ruim essa antecipação de eleição. Os políticos que detém mandato só falam em eleição. O povo nem tem paciência com isso diante dessa crise”, opinou.

O chefe do Executivo corumbaense chegou a declarar intenção de tentar reeleição, mas garante que só o fará se for de comum acordo com os partidos e o assunto será tratado no ano que vem quando ocorre o pleito. “O partido vai decidir sobre minha reeleição em junho do ano que vem (quando ocorrem as convenções), mas estou tranquilo, não sou político profissional, tenho uma vida fora da política. Não morro, nem mato por eleição”, disse.

O petista disse, ainda, que não entrará na guerra entre Zeca e Delcídio e admitiu que precisa de ambos para governar o município. “Não vou entrar nessa coisa pessoal e raivosa que toda hora aflora. Aqui a vida segue tranquilamente”, concluiu.

Jornal Midiamax