Política

Moka diz que não será ministro porque não ajudou a eleger Dilma

Senador admite convite para ministério

Midiamax Publicado em 30/06/2015, às 10h01

None
20130418_01602pf_pedro_franca_agencia_senado.jpg

Senador admite convite para ministério

O senador Waldemir Moka (PMDB) afirmou que não assumirá ministério na administração de Dilma Rousseff (PT). O senador admite que já foi sondado e chegou a ser chamado para conversar sobre o cargo, mas que nunca se interessou.

“Por que nunca aceitei discutir? Seria incoerência da minha parte ser ministro de um governo que eu não ajudei a eleger. Já fui sondado e até cheguei a ser chamado, mas não tem a menor condição”, justificou.

O nome de Moka já foi citado algumas vezes por veículos nacionais, que cobrem as sessões em Brasília, mas nunca foi oficializado. Moka não fez campanha para Dilma em nenhuma eleição e no Mato Grosso do Sul foi um dos primeiros a oficializar apoio a Reinaldo Azambuja (PSDB), contra o candidato do PT, Delcídio do Amaral.

Apesar de posições contrárias ao PT, o senador diz que atua de maneira independente em Brasília, sem posição radicalmente contra ou a favor da administração de Dilma Rousseff (PT). Cotado para concorrer a prefeitura, o senador também disse não, avisando que trabalha pela reeleição ao Senado em 2018.

Jornal Midiamax