Política

Marun aceita convite do líder PMDB para participar da CPI da Petrobrás

Parlamentar de Mato Grosso do Sul deverá ser suplente na comissão 

Midiamax Publicado em 24/02/2015, às 23h40

None
marun_cpi.jpg

Parlamentar de Mato Grosso do Sul deverá ser suplente na comissão 

O deputado federal Carlos Marun (PMDB/MS) aceitou, nesta terça-feira (24), o convite do líder do PMDB na Câmara Federal, deputado Leonardo Picciani (RJ), para integrar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás, como suplente.

Marun que está no parlamento federal há menos de três meses, revelou que não estava com essa pretensão para inicio de mandato, mas não se furtará de corresponder às expectativas nele depositadas, conforme postagem em uma rede social. “Estou só em meu gabinete a acabo de tomar a decisão de aceitar ocupar, na condição de suplente, uma das vagas do PMDB na CPI da Petrobrás. Não tinha este plano e não pleiteei esta vaga, mas diante da indicação decidi não me furtar à responsabilidade” (sic). 

A CPI, que tem como primeiro signatário o líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP), será composta de 27 deputados titulares e igual número de suplentes. Deverá funcionar pelo prazo de 120 dias, prorrogáveis por mais 60. O requerimento de criação da comissão foi assinado por 182 deputados de vários partidos políticos.

Dos 27 integrantes titulares da CPI, faltam ser indicados 12 deputados, sendo três do PT, três do PMDB, dois do PP, um do PRB, um do PSC, um do PHS e um do PPS. Se esses partidos não fizerem a indicação dos seus representantes caberá ao presidente da Câmara fazer as indicações.

Os dois cargos mais importantes da CPI são a presidência e a relatoria, que estão sendo disputados pelos maiores blocos (PMDB) ou partidos (PT). O líder do PT, deputado Sibá Machado (AC), disse que seu partido não abre mão de ficar com a presidência ou com a relatoria da CPI, até por ser a maior bancada da Câmara.

O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), anunciou nesta segunda-feira (23) a indicação do nome do deputado Hugo Motta (PMDB-PB) para presidir a nova CPI da Petrobras. A comissão será instalada na próxima quinta-feira (26).

A CPI da Petrobras é a primeira a ser instalada nesta legislatura pela Câmara dos Deputados. No ano passado, foram criadas duas comissões para investigar as denúncias de corrupção na Petrobras, sendo uma no Senado e uma mista composta de deputados e senadores. Os deputados da oposição entendem que os trabalhos da CPI mista foram prejudicados e, por isso, apresentaram o requerimento para a criação da nova comissão, destinada a aprofundar as investigações de corrupção na estatal.

Jornal Midiamax