Política

Governo prioriza eleições da Assomasul para depois focar na Assembleia

Articulação política do governador quer evitar disputa nas eleições que acontecerão nos próximos dias

Ludyney Moura Publicado em 12/01/2015, às 21h03

None
sergio_e_reinaldo.jpg

Articulação política do governador quer evitar disputa nas eleições que acontecerão nos próximos dias

A gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB) já obteve uma vitória na campanha para a eleição da próxima diretoria da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), e depois do pleito, marcado para a próxima sexta-feira (16), vai focar na escolha da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

Com a articulação política do chefe da casa civil, Sérgio de Paula, o governo conseguiu demover a candidatura de Sérgio Barbosa (PMDB), prefeito de Amambai, à presidência da Assomasul, deixando o tucano Juvenal Neto, de Nova Alvorada do Sul, como “consenso” entre os 77 prefeitos da entidade.

“Temos até quarta-feira (14) para resolver o consenso (da Assomasul). Acredito que não terá problemas, até porque é uma eleição suprapartidária. Quanto à Assembleia ainda tem alguns deputados de recesso, vamos trabalhar uma coisa de cada vez”, declarou Sérgio de Paula.

Para de Paula, um dos principais articuladores políticos do governador, a resolução petista que proíbe compor chapas encabeçadas por PSDB, DEM e PPS, “precisa ser respeitada”, mas encontra resistência dentro do próprio partido. “Alguns prefeitos já demonstraram insatisfação (contra a proibição de aliança)”, revelou.

Apesar da negativa petista em fazer parte da aliança que tem o democrata Zé Teixeira como presidente, o staff político de Reinaldo ainda pretende abrir uma conversação com a bancada petista na Assembleia, composta por Amarildo Cruz, Pedro Kemp, cabo Almi e João Grandão, para buscar um “consenso” na formação da próxima diretoria do legislativo estadual.

Ontem, domingo (11), a bancada petista confirmou apoio à candidatura do presidente estadual do PMDB, deputado Junior Mochi, à Casa de Leis, o que pode atrapalhar os planos do governador na Assembleia.

O chefe da Casa Civil afirmou ainda que “dificilmente” Reinaldo abriria mão de apoiar a candidatura de um aliado como Zé Teixeira para bancar a candidatura de uma diretoria que teria o PT, seu principal opositor na Casa, com papel de destaque.

A eleição da Assomasul acontece na próxima sexta-feira (16), pela manhã, na sede da entidade na Capital. E a escolha do próximo presidente da Assembleia será logo após a cerimônia de posse dos deputados eleitos, no dia 1º de fevereiro. 

Jornal Midiamax