Política

Fim do Gisa e ‘farra dos atestados’ são problemas para Sesau resolver, diz Olarte

Olarte se limitou a dizer que as providências serão tomadas pela Sesau

Midiamax Publicado em 15/01/2015, às 14h34

None
prefeito_gilmar_olarte_dg_6.jpg

Olarte se limitou a dizer que as providências serão tomadas pela Sesau

A rescisão do contrato do Gisa e a farra dos atestados médicos constatados na saúde são responsabilidades da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), afirma o prefeito de Campo Grande (MS), Gilmar Olarte (PP).

Questionado sobre as providências que serão tomadas a respeito dos dois casos, Olarte disse, apenas, que a secretaria analisará e tomará as providências necessárias.

O contrato entre a Telemídia, empresa responsável pela implantação do Gisa, e a Prefeitura foi rescindido pelo Ministério da Saúde. O sistema deveria agendar consultas nas unidades de saúde, mas nunca funcionou, apesar de gastos de mais de R$ 10 milhões.

A demanda está na procuradoria jurídica do município que mantém contato com o Ministério da Saúde, que devem definir os próximos trâmites da questão, segundo o secretário municipal da Sesau, Jamal Salem.

Em agenda nesta manhã, Olarte não quis se pronunciar sobre o assunto e limitou-se a responder que cabe a Sesau a demanda. “A Secretaria está fazendo todos os encaminhamentos junto com a procuradoria”, resumiu.

Da mesma forma, a farra de atestados médicos na Sesau e medidas que serão aplicadas para quem apresentou documento falso ficará a cargo somente da secretaria de Saúde. “O Jamal já está tomando as providências”.

Jornal Midiamax