Política

Erro da Câmara garante mais prazo para vereadores na Comissão de Ética

Parlamentares terão até o fim de outubro para se defenderem

Midiamax Publicado em 15/10/2015, às 14h09

None
joao_rocha_cg_arquivo.jpg

Parlamentares terão até o fim de outubro para se defenderem

Um erro, atribuído à equipe de apoio da Câmara Municipal de Campo Grande, garantiu pelo menos mais uma semana de prazo para vereadores apresentarem defesa à Comissão de Ética da casa, acerca das investigações da Operação Coffee Break. A informação oficial é de que os nove investigados serão notificados nesta quinta-feira (15).

Segundo o presidente da Comissão de Ética, João Rocha (PSDB), o prazo para Mario Cesar (PMDB) – presidente afastado do cargo –, Paulo Siufi (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB), Airton Saraiva (DEM), Jamal Salem (PR), Gilmar da Cruz (PRB), Chocolate (PP), Edson Shimabukuro (PTB) e Carlão (PSB) se defenderem terminaria na próxima segunda-feira, dia 19.

Erro da Câmara garante mais prazo para vereadores na Comissão de ÉticaNo entanto, conta o tucano, a equipe de apoio da Câmara teria cometido dois equívocos ao encaminhar a documentação. Primeiro, tinham notificado funcionários do gabinete e não diretamente alguns dos vereadores, e também faltou identificar na papelada a quem a defesa deveria ser apresentada.

Sendo assim, a procuradoria jurídica da Câmara alertou que as notificações tinham vício de origem – podendo ter a validade questionada futuramente, por exemplo. Como cada notificado tem dez dias para apresentar defesa, ela tem de estar com a Comissão de Ética até o dia 26 de outubro, segunda-feira subsequente ao prazo inicial previsto.

A Comissão de Ética foi aberta após a Câmara ser pressionada a tomar atitude em relação aos vereadores investigados. A Coffee Break apura se parlamentares foram corrompidos para votarem contra o prefeito, Alcides Bernal (PP), que foi cassado pela casa em março de 2014.

Jornal Midiamax