Política

Deputado rebate relatório, e PMDB encerra discussão da ‘herança’

Junior Mochi falou na AL sobre explicações de André

Midiamax Publicado em 14/04/2015, às 14h36

None
junior_mochi.jpg

Junior Mochi falou na AL sobre explicações de André

O PMDB deu por encerrada as discussões sobre o relatório do atual governo, do PSDB, que aponta rombo de R$ 450 milhões nas contas estaduais deixado pela gestão de André Puccinelli, concluída em dezembro último. “Agora, cabe aos órgãos de controle analisar os números”, concluiu o presidente da Assembleia Legislativa, o peemedebista Junior Mochi, durante discurso na sessão desta terça-feira (14).

Mochi foi à tribuna para rebater informações do relatório tucano. Disse que Puccinelli apresentou ao partido, em reunião na segunda (13), explicações sobre o que o próprio classifica como erros de interpretação por parte do sucessor, dizendo estar no registro de gestão fiscal e no balanço anual de 2014 as informações sobre a real situação deixada por ele.

O presidente da Assembleia citou dois exemplos de eventuais distorções no relatório do governo. Um deles, diz Mochi, é que os tucanos alegam ter encontrado R$ 301 milhões em caixa, enquanto o valor seria de R$ 571 milhões – a diferença, explica o deputado, estaria na receita de competência, que entra no caixa do Executivo na segunda semana de janeiro e não teria sido levada em consideração.

Em outro ponto, continuou o peemedebista, o atual governo coloca como dívida o valor de R$ 141 milhões referentes ao pagamento de parcelas de empréstimos consignados de servidores. A lei prevê que o próximo governo pague esta conta e, portanto, não poderia ser incluída desta forma no relatório, finaliza Mochi.

“É uma questão contábil que fica a cargo dos órgãos de controle”, disse ainda o deputado, afirmando que o PMDB deu por encerrada a discussão do tema.

Jornal Midiamax