Política

Deputado afirma que Funai quer “engolir cidades” para índios em MS

Deputado se preocupa com estudo da Funai

Evelin Cáceres Publicado em 24/11/2015, às 16h06

None
ze-teixeira.jpg

Deputado se preocupa com estudo da Funai

O deputado Zé Teixeira (DEM) criticou nesta terça-feira (24) uma pesquisa que estaria sendo realizada pela Funai (Fundação Nacional do Índio) para a ampliação da área indígena em Dourados de 3,6 mil para 20 mil hectares. Segundo o deputado, atingiria o perímetro urbano, “engolindo a cidade”.

A notícia foi divulgada pelo jornal O Progresso e afirma que o levantamento sigiloso ampliaria a Reserva Indígena de Dourados, que abriga as aldeias Jaguapirú e Bororó. “Com 3.600 hectares e habitada por mais de 3.500 famílias, a área é considerada pequena para os cerca de 16 mil índios que vivem nas duas aldeias e o processo de ampliação seria a solução apontada por antropólogos ligados à Funai. A reportagem apurou que eles consideram “confinador” a divisão dos 3.600 hectares por mais de 3.500 famílias, o que daria, em média, um hectare por família, enquanto estudos apontam como ideal que cada família indígena seja assentada em, pelo menos, 30 hectares”, informa a reportagem de Marcos Santos. 

Para Teixeira, ampliar a área para o norte também não seria solução. “Acaba com Itaporã, é uma mudança inviável. Já recebi até críticas e moção de repúdio como representante do setor produtivo, mas se tem alguém fazendo agressão é o índio, que está depredando. Quem quer seu patrimônio invadido?”, acusou. 

Jornal Midiamax