Política

Com protestos na Câmara, Mario Cesar pede reunião entre professores e prefeito

Mario Cesar disse que não participa de reunião sem Olarte

Evelin Cáceres Publicado em 05/08/2015, às 14h00

None
img-20150804-wa0050.jpg

Mario Cesar disse que não participa de reunião sem Olarte

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mario Cesar (PMDB) deixou claro nesta quarta-feira (5) que os professores precisam pedir o reajuste ao prefeito Gilmar Olarte. O vereador demonstrou estar cansado da pressão dos vereadores em protestos diários na Câmara e disse que vai tentar uma reunião com Olarte.

“Conversei com o professor Geraldo (presidente da ACP) e disse que é preciso marcar uma audiência com o prefeito para resolver esse problema. O prefeito precisa dizer “sim” ou “não” sobre o reajuste. Mas eu não vou mais participar de reunião se o Olarte não estiver presente”, reclamou.

Caso o prefeito não aceite marcar nova reunião com os professores, Mario Cesar disse que  poderia avaliar a possibilidade de reunir os professores para poder pedir a convocação dele na Câmara.

“Quando a Câmara aprovou a Lei do reajuste dos professores, o prefeito tinha consciência do impacto financeiro. Esse cálculo até foi pedido pela Prefeitura e nós enviamos. Ou seja, nada foi feito de maneira irresponsável”.

Sobre a briga que aconteceu na sessão desta terça-feira (4) na Casa, quando dois professores foram agredidos por guardas municipais, Mario Cesar culpou novamente a Prefeitura sobre possíveis responsabilizações.

“Só pedimos para que a Guarda mantivesse a ordem. Mas se alguém tem que tomar providência sobre essas possíveis agressões é a Prefeitura. Nós podemos fornecer as imagens para que a Prefeitura tome alguma atitude”, finalizou. 

Jornal Midiamax