Política

Câmara vai abrir comissão mesmo sem documentos do delegado

Presidência ainda não recebeu documentos

Midiamax Publicado em 27/04/2015, às 14h52

None
bb90be96ff9bdeedc02a1a0968244ad0.jpg

Presidência ainda não recebeu documentos

O presidente da Câmara de Campo Grande, Mario Cesar (PMDB), ainda não recebeu os documentos solicitados ao delegado Paulo Sérgio Lauretto sobre indiciamento do vereador Alceu Bueno (PSL) por favorecimento a exploração de adolescente.

O vereador explicou que ligou para o delegado nesta manhã, mas não conseguiu contato. Todavia, deixou claro que pretende ter acesso aos documentos o quanto antes, para levar ao conhecimento dos demais vereadores.

Apesar de não ter os documentos em mãos, Mario afirma que nesta terça-feira (28) a Mesa Diretora vai apresentar o pedido de abertura da comissão processante. Ele pondera que os documentos serão importantes para os membros da comissão processante, que usarão o inquérito para subsidiar as investigações.

Para abrir a comissão processante é necessário que 20 dos 29 vereadores sejam favoráveis. Após a votação a presidência sorteia três vereadores, que integrarão a comissão. Eles têm prazo de 90 dias para emitir parecer favorável ou contra a cassação.

Na Câmara a expectativa é de que o vereador apresente um pedido de renúncia, o que pouparia uma exposição maior, como a cassação de mandato. Se renunciar ao mandato Alceu pode concorrer normalmente no ano que vem, visto que o julgamento do indiciamento ainda pode demorar.

O caso envolvendo o vereador veio à tona depois que ele denunciou suposta extorsão por parte de Luciano Pageu e do ex-vereador Robson Martins. A dupla foi detida com R$ 15 mil que, segundo vereador, seriam usados para extorqui-lo. Depois, após investigação, a polícia acabou descobrindo um grupo que atuava na exploração de adolescentes. Além de Alceu, o ex-deputado Sérgio Assis também foi denunciado por favorecimento à prostituição, visto que também foi flagrado mantendo relação com adolescente de 15 anos. .

Jornal Midiamax