Política

Câmara tem plenário cheio e troca de provocações entre torcidas rivais

Abertura de comissão processante deve ser votada logo mais

Midiamax Publicado em 13/08/2015, às 12h41

None
unnamed_3.jpg

Abertura de comissão processante deve ser votada logo mais

Em clima de torcidas organizadas rivais, está agitado o clima no plenário da Câmara Municipal de Campo Grande na manhã desta quinta-feira (13). A sessão não havia começado até pouco antes das 9h30, mas a previsão é de que os vereadores votem o pedido de abertura de comissão processante contra o prefeito, Gilmar Olarte (PP).

No plenário, já cheio, há professores em greve e grupos ligados ao prefeito. As duas partes provocam-se com gritos de ordem, enquanto equipes da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal fazem a segurança do local.

É previsto que o requerimento da processante seja votado ainda nesta quinta, mas outro encaminhamento da oposição, pedindo para afastar Olarte, deve ficar para depois. Segundo a vereadora Thais Helena (PT), documento neste sentido já foi protocolado, depois que o TJ (Tribunal de Justiça) tornou o prefeito réu em processo de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, “mas, em princípio, não tem nada pautado”.

Suplentes

Para votar o requerimento da processante, foram convocados três suplentes – já que os autores, vereadores da oposição, não podem votar o tema em plenário. Dois deles, já na casa nesta quinta, disseram ser a favor da abertura do processo contra o prefeito.

“Quem não deve, não teme. O prefeito deveria pedir para ser investigado. Não tenho problema de, se for o caso, absolvê-lo no fim do processo”, diz Élbio Santos (PT). “Todo cidadão eleito ou em cargo de confiança deveria passar por esse crivo”, emenda Roberto Durães (PT).

Jornal Midiamax