Política

Câmara dos Deputados discute relatório do Cimi sobre violência contra índios

MS é o estado mais violento, segundo o conselho indigenista

Midiamax Publicado em 08/10/2015, às 12h30

None
camara_deputados.jpg

MS é o estado mais violento, segundo o conselho indigenista

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados debate nesta quinta-feira (8), em audiência pública, o relatório do Cimi (Conselho Indigenista Missionário) que trata da violência contra os povos indígenas em 2014. O documento aponta que Mato Grosso do Sul é o estado mais violento do Brasil em relação aos índios.

É também em Mato Grosso do Sul que, conforme o Cimi, ocorre o maior número de suicídios entre indígenas. Em 2014, foram 135 casos em todo Brasil, sendo 35% deles, ou seja, 48, em terras sul-mato-grossenses.

O assunto tem praticamente monopolizado os debates recentes na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, resultando inclusive na criação de duas CPIs. A primeira, CPI do Cimi, visa investigar possíveis incitações a invasões e até mesmo denúncias de pessoas que se dizem ligadas ao movimento com desvio de recursos que deveriam ser destinados às aldeias indígenas no Estado.

A segunda, CPI do Genocídio, foi aprovada ontem (7) pelos deputados e apura ações e omissões do Estado nos casos de violência praticados contra os povos indígenas de 2000 a 2015. Uma espécie de reação à abertura da outra comissão.

A audiência pública, prevista para começar às 9h (horário de MS), foi proposta pelos deputados Sarney Filho (PV-MA), Edmilson Rodrigues (Psol-PA), Ivan Valente (Psol-SP) e Nilto Tatto (PT-SP). Entre os convidados estão Daniel Vasque, membro do Conselho Aty Guassu do Mato Grosso do Sul, a representante da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Sonia Bone Guajajara; o secretário executivo do Cimi, Cleber Buzato e a coordenadora de Processos Educativos da Fundação Nacional do Índio (Funai), Sirlene Bendazzoli. (Com supervisão de Waldemar Gonçalves)

Jornal Midiamax