Política

Bernal diz esperar julgamento rápido e ter certeza da condenação de Olarte

'Para mim, ele é um criminoso', diz prefeito sobre o vice

Midiamax Publicado em 02/10/2015, às 10h42

None
img-20150827-wa0152.jpg

‘Para mim, ele é um criminoso’, diz prefeito sobre o vice

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), disse na manhã desta sexta-feira (2) ter certeza da condenação do vice, Gilmar Olarte (PP), preso temporariamente em decorrência da Operação Coffee Break. “Para mim, ele é um criminoso”, diz o chefe do Executivo municipal.

“Campo Grande vive uma situação constrangedora causada, todos sabem, pelos que estão sendo investigados pela Polícia Federal, na Operação Lama Asfáltica, e pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), nas operações Adna e Coffee Break, e já foram identificados”, diz Bernal.

O prefeito diz esperar solução rápida do caso na Justiça. “Com a prisão, fica claro que a instrução penal não será lenta e terá sentença condenatória, não tenho dúvida”.

Questionado sobre a escolha de Olarte para ser vice na chapa que venceu as eleições municipais de 2012, Bernal diz que o pastor “por ganância pelo poder e dinheiro se envovleu com políticos e empresários, formando uma organização criminosa”. “O encontrei dentro de uma igreja, com uma bíblia na mão, ao lado da mulher, cantarolando música evangélica, acreditando que fosse um homem com valores morais e éticos”, relembra o prefeito.

“Para mim ele é um criminoso, golpista, que agora está sendo desmascarado e se encontra preso. Hoje, a honra de Campo Grande começa a ser lavada”, emenda Bernal. Segundo ele, “praticamente 33% do orçamento do município desapareceu”.

Bernal foi cassado em março do ano passado, após a CPI do Calote e uma comissão processante. No dia da cassação, 23 dos 29 vereadores votaram pela cassação.

O prefeito retornou ao cargo em agosto deste ano, após o TJ (Tribunal de Justiça) negar recurso da Câmara Municipal e manter liminar, concedida em maio em primeira instância, que considerou a cassação ilegal. A investigação da Coffee Break é sobre suposto esquema de corrupção de vereadores para garantir a cassação de Bernal.

Jornal Midiamax