Política

Assembleia convida gestores para resolver problemas da Santa Casa

O hospital já acumula de janeiro a outubro mais de R$ 12 milhões em dívidas

Diego Alves Publicado em 11/11/2015, às 00h09

None
santa_casa_0.jpg

O hospital já acumula de janeiro a outubro mais de R$ 12 milhões em dívidas

Por conta do desabastecimento e para preservar o atendimento de urgência e emergência, a Santa Casa de Campo Grande suspendeu cirurgias eletivas. O deputado estadual Felipe Orro (PDT) informou na tribuna, na sessão desta terça-feira (10/11), que a Assembleia Legislativa irá interceder junto aos gestores da Saúde para que os problemas do maior hospital do Estado sejam resolvidos rapidamente. A reunião está marcada para amanhã às 8h, na sala da Presidência da Casa de Leis. “Há mais de um ano, a Santa Casa está dialogando com o município e Estado para que os contratos sejam firmados.

O hospital já acumula de janeiro a outubro mais de R$ 12 milhões em dívidas. Por falta de pagamento, mais de 98 itens, entre medicamentos e materiais hospitalares, foram deixados de ser fornecidos. Estamos vivendo o maior descaso com a saúde de Campo Grande”, destacou. Para o parlamentar, a suspensão das cirurgias eletivas irá causar um colapso generalizado em Mato Grosso do Sul.

“Os serviços vão se acumulando, o colapso se estenderá em todos os setores do hospital, as pessoas estão morrendo nos corredores. Os cidadãos não têm culpa dos problemas políticos ocorridos em nossa Capital. Não podemos esperar a boa vontade, o repasse dos recursos precisa ser feito rapidamente", afirmou Orro.   

Jornal Midiamax