A advogada e professora Tatiana Ujacow anunciou nesta quinta-feira (29) que a REDE não acompanhará o PSB na coligação com o PMDB em Mato Grosso do Sul. A coordenadora executiva do partido que atualmente integra a legenda do PSB, informou a decisão ao presidente regional do PSB, Murilo Zauith.

Tatiana disse que recebeu, anteontem, convite do presidente do PSB para reunião, nesta quinta-feira (29), com a participação do pré-candidato do PMDB ao governo, ex-prefeito Nelsinho Trad, na qual o partido ouviria de Nelsinho a proposta de aliança eleitoral com o PSB.

No entanto, ela adiantou que em reunião a REDE-MS decidiu, por unanimidade, pela impossibilidade de aproximação com o PMDB em Mato Grosso do Sul e não participará da conversa. “Não há razão para comparecer ao encontro do PSB, partido ao qual estou filiada, com o pré-candidato do PMDB. A proposta da REDE é diferente”, explicou.

“Vamos aguardar o posicionamento do PSB-MS e, se a decisão caminhar para a coligação com o PMDB, a REDE-MS vai definir a estratrégia de campanha no estado para Eduardo Campos e Marina Silva na disputa presidencial”, diz.

Disputa ao governo

Tatiana declarou que a deliberação da REDE era por candidatura própria do PSB ao governo ou ao senado, em aliança com partidos afinados com a linha programática da REDE. “Agora, a se confirmar a coligação PSB e PMDB, não devemos lançar candidaturas no estado”, ponderou.

Criada a partir dos movimentos populares de junho do ano passado, que levaram milhares de cidadãos para as ruas nas principais cidades brasileiras, a REDE apregoa princípios que valorizam novas práticas políticas.

A coordenadora executiva da REDE não adiantou se a sigla vai dar apoio a outra chapa na disputa ao governo do estado. “O que está definido, por ora, é que vamos trabalhar pela eleição de Eduardo e Marina, com muita disposição de levar nossos ideais. Afinal, os índices apontados em pesquisa demonstram que a população acredita no projeto de nova política e não perdeu a esperança”, finalizou.

O nome de Tatiana tem sido cotado como opção para candidatura a vice-governadora na chapa de Nelsinho Trad, segundo o próprio pré-candidato e o senador Waldemir Moka (PMDB).

O nome de Tatiana vinha sendo apontado pelo presidente do PSB e por lideranças do PMDB para compor a chapa majoritária do PMDB. “A Tatiana tem peso para representar o PSB”, declarou na semana passada Murilo Zauith ao comentar resultado de pesquisa DATAmax sobre o índice de Tatiana.

O pré-candidato do PMDB, Nelsinho Trad, manifestou que a vice estava reservada ao PSB, de preferência uma mulher e que representasse Dourados. O sendor Waldemir Moka (PDMB) também admitiu que o nome de Tatiana era o preferido do PMDB para compor a chapa de Nelsinho.