Política

Com câncer e fazendo quimioterapia, mulher de vereador é convocada para dar aulas na Prefeitura

O vereador Carlão (PSB) pediu a palavra durante a sessão desta terça-feira (11) na Câmara para relatar o que chamou de “ato de covardia”. Segundo Carlão, a mulher do vereador João Rocha (PSDB), a professora concursada Rosemary da Costa Rocha, que está com câncer há quatro anos, foi convocada a comparecer na Secretaria de Educação. […]

Arquivo Publicado em 11/02/2014, às 15h58

None

O vereador Carlão (PSB) pediu a palavra durante a sessão desta terça-feira (11) na Câmara para relatar o que chamou de “ato de covardia”. Segundo Carlão, a mulher do vereador João Rocha (PSDB), a professora concursada Rosemary da Costa Rocha, que está com câncer há quatro anos, foi convocada a comparecer na Secretaria de Educação.


Rosemary não está internada, mas está realizando sessões de quimioterapia em casa. Apesar do tratamento, a professora acompanha semanalmente projeto de ginástica rítmica de sua autoria. A professora descobriu que estava com câncer nos seios há quatro anos. Depois, a doença se espalhou para os ossos e pulmão.


Por acreditar que a convocação seria para demiti-la, Carlão exige retratação do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) ou do secretário municipal de educação José Chadid. “Existem pessoas que não têm condições de administrar nada”, cutucou, referindo-se ao prefeito.

Ao saber do caso, diversos vereadores tomaram as dores de João Rocha, que raspou o cabelo em solidariedade à mulher. Depois de todos falarem, o vereador tucano pediu a palavra e criticou a atitude da Secretária de Educação. “A chamaram para dar aula, só para poder dispensá-la. Ela está há mais de trinta anos na Prefeitura”, declarou.

João Rocha acredita que as possíveis demissões de seus familiares têm relação com a independência a Bernal declarada recentemente pelo PSDB.

“Deus é maior que tudo isto, nossa família gosta de trabalhar. Não tem funcionário fantasma”, disse, por conta de polêmica com mais familiares entre os professores concursados. O vereador afirma que sua sobrinha também foi convocada pela secretaria e acredita que “é questão de tempo” para mandarem seu irmão embora.


(Matéria editada para correção de informação às 13h20, do dia 11/02/2014)

Jornal Midiamax