Política

Vereadora quer Nelsinho na CPI para explicar R$ 222 milhões repassados a hospitais

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) enviou um requerimento à CPI do Câncer, da Câmara de Campo Grande, solicitando que o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), seja convocado para prestar esclarecimentos. A vereadora entende que o prefeito tem muito a contribuir com a investigação, visto que administrou a cidade por oito anos. Ao anunciar […]

Arquivo Publicado em 12/12/2013, às 16h13 - Atualizado em 13/07/2020, às 10h51

None
2000228208.jpg

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) enviou um requerimento à CPI do Câncer, da Câmara de Campo Grande, solicitando que o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), seja convocado para prestar esclarecimentos. A vereadora entende que o prefeito tem muito a contribuir com a investigação, visto que administrou a cidade por oito anos.

Ao anunciar o requerimento Luiza ressaltou que Nelsinho tinha bastante ligação com a área da saúde, comprovada pela indicação de dois parentes dele para os cargos: Luiz Henrique Mandetta, primo, e Leandro Mazina, cunhado. “Peço a CPI que não conclua os trabalhos sem ouvir o ex-prefeito. Ele repassou R$ 222 milhões ao Hospital do Câncer e ao Hospital Universitário, que não vimos uma aplicação razoável”, justificou.

O presidente da CPI, vereador Flávio César (PTdoB), avalia que não há mais tempo para convocar o ex-prefeito. Ele justifica que a fase de oitiva já acabou, com vários depoimentos, incluindo dos ex-gestores da Saúde em Campo Grande, Mandetta e Mazina.

“Não há motivo nenhum para atender o capricho da vereadora Luiza Ribeiro. Ela deveria se esforçar para trazer o prefeito que ela defende e que tem tanto para explicar na Comissão Processante”, rebateu.

Na segunda-feira (16) a CPI do Câncer deve informar a data de leitura do relatório final. O trabalho já estava concluído, mas a relatora, Carla Stephanini (PMDB), teve que incluir alguns documentos que chegaram recentemente. O prazo para a entrega vence no dia 15 de dezembro, mas a CPI poderia prorrogar os trabalhos, se julgasse necessário.

Jornal Midiamax