Política

Mário César diz que Bernal tem que ‘seguir exemplo’ e provar inocência contra cassação

O vereador foi absolvido nesta segunda-feira (7) no processo que o havia cassado por suposta compra de votos, e disse que o prefeito, na berlinda, também deveria enfrentar o processo e provar inocência.

Arquivo Publicado em 08/10/2013, às 11h39

None
20586906.jpg

O vereador foi absolvido nesta segunda-feira (7) no processo que o havia cassado por suposta compra de votos, e disse que o prefeito, na berlinda, também deveria enfrentar o processo e provar inocência.

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mário César (PMDB), espera que os vereadores votem favorável a abertura de uma comissão processante para investigar denúncias feitas contra a administração do prefeito Alcides Bernal (PP). O vereador entende que a comissão dará a oportunidade do prefeito se defender e comprovar a inocência que alega.

Mário entende que o processo dará legitimidade ao próprio mandato de Bernal, já que a CPI do Calote apontou algumas irregularidades. “Me preocupa ele não querer dar uma resposta no campo político. Ele tem que provar que não há irregularidades”, opinou.

Para defender a tese de que o prefeito deveria aceitar a abertura de uma comissão processante, Mário César usa a experiência pessoal, lembrando que ontem (7) conseguiu ser inocentado das acusações de compra de voto, após um longo processo judicial.

“Passei por um processo de cassação e consegui comprovar que não tinha feito nada errado. Isso deu legitimidade ao meu mandato e ele deveria fazer isso também. Talvez até saia por cima se comprovar a inocência”, avaliou.

Nesta terça-feira a Câmara decide se abre ou não uma comissão processante para investigar Bernal. Para derrubar a comissão o prefeito precisa de 10 votos dos 29 na Câmara. Hoje os aliados do prefeito afirmam que têm 10 vereadores na base e poderão ter uma ideia da fidelidade dos “companheiros”.

Jornal Midiamax