Às vésperas do depoimento do prefeito Alcides Bernal à Comissão Processante, dois vereadores da oposição reconheceram que podem acabar aderindo à base aliada do administrador municipal, suspeito de irregularidades envolvendo contratos e destinação de dinheiro público. O líder da oposição, Airton Saraiva (DEM), é um deles. O outro é Eduardo Romero (PTdoB).

Os dois subiram à tribuna para falar que não estão na base do prefeito, mas reconheceram a possibilidade de mudar de lado.

Saraiva contou que conversou sobre o assunto com o líder do governo, Pedro Chaves, e com outras duas pessoas ligadas ao prefeito. Para ele, não há nada de errado em conversar. “É normal isso, mas não tem nada encaminhado”, garante.

Segundo Saraiva, a sua postura será determinada pelo Democratas. “Eu sou de partido. Não assumo nada sozinho, mas vou continuar conversando”, disse.

Antes dele, quem subiu na tribuna para falar sobre o assunto foi Eduardo Romero (PTdoB). Ele negou ter recebido convite para fazer parte da administração municipal e cuidar da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur). “Não foi feita nenhuma conversa comigo, mas estou lisonjeado de ser lembrado”, disse.

No entanto, ele também afirmou que segue as orientações e determinações do partido e que o PTdoB pode estar conversando com o prefeito. Eduardo Romero era um dos mais ácidos opositores de Bernal na Câmara.

Nenhum dos dois vereadores listou ação, programa ou motivação ideológica para justificar a mudança de postura em relação ao prefeito.