Política

Edil critica descontinuidade administrativa e indisposição de Bernal para ouvir

O ex-vice prefeito e agora vereador, Edil Albuquerque (PMDB), avaliou que os 100 primeiros dias de Alcides Bernal (PP) foi marcado por uma descontinuidade administrativa, motivada por uma interrupção do sistema funcional da prefeitura. Na avaliação de Edil, o prefeito está começando a “tomar pé da situação”, mas deve ser mais comedido nas palavras e […]

Arquivo Publicado em 10/04/2013, às 13h41

None
577165091.jpg

O ex-vice prefeito e agora vereador, Edil Albuquerque (PMDB), avaliou que os 100 primeiros dias de Alcides Bernal (PP) foi marcado por uma descontinuidade administrativa, motivada por uma interrupção do sistema funcional da prefeitura. Na avaliação de Edil, o prefeito está começando a “tomar pé da situação”, mas deve ser mais comedido nas palavras e ações.

“Não adianta agredir, repudiar as ações do parlamento. Faço política há 30 anos e nunca vi uma dissociação tão grande entre o prefeito e a Câmara de Vereadores. Recomendo que continue zeloso com o trato público, que ele diz em todos os lugares. Mas, tem que ter interlocução”, criticou.

Edil diz que Bernal não ouve ninguém e chegou a desafiar o prefeito a apresentar alguém que ele ouve na hora de tomar decisões. Na avaliação do vereador, nem os secretários do prefeito têm liberdade de se expressar.

“Não sou contra a troca de poder, faz parte. Mas, a descontinuidade foi muito grande e ele não é uma pessoa que tem experiência administrativa. Ele tem que acreditar nos secretários dele e pessoas que procuram e orientam. O que ele não pode é travar. A administração foi travada em todos os aspectos. Entendo que tem que trabalhar, mas também ouvir as pessoas”, finalizou. Edil também criticou a falta de comando principalmente em pastas estratégicas como a secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Jornal Midiamax