Política

Chaves conta com cinco partidos na base de Bernal e já inclui PT, PDT e PTB na lista

O novo secretário de Governo do prefeito Alcides Bernal (PP), Pedro Chaves, inicia nesta terça-feira (5) a missão de ampliar a base de sustentação na Câmara de Campo Grande. Ele entra no cargo para tentar salvar o prefeito da crise, ampliada com a falta de habilidade para se relacionar com os demais partidos. Nomeado, Chaves diz que […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 12h13

None

O novo secretário de Governo do prefeito Alcides Bernal (PP), Pedro Chaves, inicia nesta terça-feira (5) a missão de ampliar a base de sustentação na Câmara de Campo Grande. Ele entra no cargo para tentar salvar o prefeito da crise, ampliada com a falta de habilidade para se relacionar com os demais partidos.

Nomeado, Chaves diz que o primeiro passo a ser dado é a formação do conselho político para ajudar o prefeito. “Hoje já estarei entrando em contato com todos os presidentes dos partidos, para fazer uma administração colegiada, onde todos os partidos terão voz e condições de apresentar um ponto de vista, unindo o conteúdo programático para o bem de Campo Grande”, explicou.

O novo secretário de Governo pretende incluir no conselho político representantes do PSDB, PDT, PSC, PTB, PT e PPS. “É importante ter um conselho político forte e de natureza deliberativa, que defina regras claras e que possa, neste planejamento, resolver os problemas de Campo Grande, principalmente na área de saúde, transporte, saneamento e segurança”, detalhou.

Pedro Chaves explicou que vai trabalhar para que o PDT e o PTB, que ainda não estão na base do prefeito, ajudem a administrar a cidade. “Vou pessoalmente falar com os presidentes para que eles integrem e também vou procurar outros partidos que queiram somar. A ideia é começar os contatos hoje e se precisar vou a Brasília. É necessário ficar desarmado, pensando na cidade e na população que está sofrendo”, opinou.

Diferente do prefeito, que não costuma dar entrevistas e evita a imprensa, o novo secretário promete estreitar a relação por entender a importância do trabalho para a democracia. “A imprensa é a força maior da democracia. Ela abre os olhos, mostra os caminhos, descaminhos”, concluiu.

Jornal Midiamax