Política

Após derrota na Assomasul, Mochi defende reaproximação do PMDB com o PSDB

Após derrota na disputa pelo comando da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), o deputado estadual Júnior Mochi (PMDB) defendeu a reaproximação do PMDB com o PSDB. “Na minha avaliação pessoal, o PSDB sempre foi e é importante que sempre seja um aliado”, disse. Depois de décadas de parceria, os dois partidos […]

Arquivo Publicado em 23/01/2013, às 19h15

None

Após derrota na disputa pelo comando da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), o deputado estadual Júnior Mochi (PMDB) defendeu a reaproximação do PMDB com o PSDB. “Na minha avaliação pessoal, o PSDB sempre foi e é importante que sempre seja um aliado”, disse.


Depois de décadas de parceria, os dois partidos romperam aliança em Campo Grande e abalaram a relação em nível estadual. Na eleição do presidente da Assomasul, o confronto se repetiu e os tucanos, inclusive, se uniram ao PT, principal adversário político na esfera nacional.


A união deu aos rivais a o comando da associação em confronto com o grupo liderado pelos peemedebistas. “O governo não entrou na campanha, embora tenha havido mobilização do senador Moka (PMDB), do Marun (PMDB) e a minha por questão de amizade”, ponderou Mochi na tentativa de minimizar os efeitos políticos ao grupo do governador André Puccinelli (PMDB).


O deputado, no entanto, reconheceu que um dos motivos da derrota foi o desgaste do modelo de administração do PMDB. “Isso também”, admitiu. “Além de questões de ordem política e operacionais de campanha”, emendou. “Eu diria que o trabalho do candidato adversário foi mais bem feito, visitou os prefeitos, esteve presente”, concluiu.


Para finalizar, Mochi disse ter se surpreendido com a vantagem de 16 votos em favor do candidato do grupo do PSDB e PT, prefeito de Anastácio, Douglas Figueiredo (PSDB), em confronto com prefeito de Costa Rica, Waldeli Rosa (PR). “Achava que a diferença seria mais apertada, em torno de cinco, seis votos, realmente a diferença foi significativa”, disse.


Sucessão estadual


Diante do sucesso da parceria no segundo turno das eleições em Campo Grande e na disputapelo comando da Assomasul, aumentam as especulações de PT e PSDB se unirem na corrida pela sucessão estadual. “Uma coisa independe da outra”, despistou o deputado estadual Márcio Monteiro (PSDB).


Por outro lado, o senador Delcídio do Amaral (PT) e o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) não descartam a parceria. O tucano, inclusive, é um dos cotados para disputar a vaga de senador na chapa liderada por Delcídio.

Jornal Midiamax