Política

PDT busca alianças, mas pode disputar sucessão de Nelsinho com chapa pura

Dagoberto Nogueira, presidente regional, diz que ele pode disputar sucessão com Tatiana Ujacow como candidata a vice

Arquivo Publicado em 19/01/2012, às 15h25

None
169276803.jpg

Dagoberto Nogueira, presidente regional, diz que ele pode disputar sucessão com Tatiana Ujacow como candidata a vice

“As oposições precisam ter muito juízo para disputar as eleições em Campo Grande”, afirmou Dagoberto Nogueira, presidente regional em Mato Grosso do Sul.


Para Dagoberto, o pleito eleitoral de 2012 será difícil “porque vamos enfrentar duas máquinas: a do estado e da prefeitura”.


O pedetista acredita que será necessário conversar muito e, sobre a posição do pré-candidato Alcides Bernal (PP) em iniciar o diálogo, Nogueira afirmou que ele tem razão. “Precisamos conversar entre nós e estou à disposição para este entendimento”.


A idéia do PDT é ter candidatura própria. “Caso não seja possível fazer aliança, aí sairemos com candidatura pura”.


Segundo Dagoberto, as definições devem ser tomadas com base nas pesquisas, mas a união é bem vinda. “Temos grande interesse, principalmente porque aumenta o tempo na TV”, afirmou, referindo-se ao horário político.


Dagoberto ressaltou a maturidade dos candidatos pelo PP, PT e PDT. “Vamos ver quem é mais viável para ser candidato a prefeito, o segundo mais viável deve ser o vice e o terceiro deve trabalhar como se ele mesmo fosse o candidato”.


A definição dos nomes em uma possível coligação deverá seguir critérios técnicos e políticos. “O PDT é uma chapa forte. Teremos 54 candidatos a vereadores”, avaliou.


Para Dagoberto o partido está pronto para enfrentar as eleições. “Caso não haja um entendimento o PDT sairá com candidatura própria. Eu para prefeito e a Tatiana Ujacow vice”.

Jornal Midiamax