Política

Em Corumbá, seis partidos sinalizam apoio a Duarte e oposição se resume a PP e PMDB

A dois meses do fim do prazo para anunciar o rumo nas eleições, seis partidos sinalizam apoio ao deputado estadual Paulo Duarte (PT) na disputa pela Prefeitura de Corumbá, terceiro maior colégio eleitoral do Estado. Ao mesmo tempo, apenas PP e PMDB ensaiam se unir para tentar desmontar o principal reduto eleitoral do PT em […]

Arquivo Publicado em 27/04/2012, às 15h23

None

A dois meses do fim do prazo para anunciar o rumo nas eleições, seis partidos sinalizam apoio ao deputado estadual Paulo Duarte (PT) na disputa pela Prefeitura de Corumbá, terceiro maior colégio eleitoral do Estado. Ao mesmo tempo, apenas PP e PMDB ensaiam se unir para tentar desmontar o principal reduto eleitoral do PT em Mato Grosso do Sul.


Segundo Duarte, PDT, PSD, DEM e PCdoB já confirmaram adesão ao projeto petista. “E as conversas com o PSDB e PSL estão bem avançadas”, acrescentou.


Por outro lado, PMDB e PP aguardam resultado de pesquisas para definir quem será o candidato dos partidos. São cotados para entrar no embate o presidente da Câmara Municipal, vereador Evander Vendramini (PP) e Solange Alves de Oliveira (PMDB).


No início desta semana, o presidente municipal do PMDB, Otavio de Araujo Philbois, informou que a oposição conta também com o apoio de nove dos 11 vereadores por Corumbá. Duarte rebateu os números. “O PT tem três vereadores; o PSD, dois e o PDT, um e todos estão unidos em torno do nosso projeto”, ressaltou. “O que existe é muita falação, mas eu estou buscando o apoio de partido e não de pessoas”, acrescentou.


Antes de o PT anunciar consenso em torno da pré-candidatura de Duarte, os nove vereadores chegaram a ensaiar se unir para escolher um candidato da Câmara para disputar a prefeitura. O projeto, inclusive, contava com o apoio do senador Delcídio do Amaral (PT) e do governador André Puccinelli (PMDB). O plano, no entanto, acabou perdendo adeptos diante de pesquisas preliminares de consumo interno dos partidos que apontavam o favoritismo de Duarte.


“Tem que ter oposição”


Ao contrário de muitos, Duarte não quer ser candidato único na eleição. “Não seria coerente da minha parte, depois de ouvir muita gente agredir o projeto do PT, aceitar a adesão de todos à minha pré-candidatura”, explicou. “É claro que estou buscando aliados, mas vou manter a coerência no processo de construção do arco de aliança”, completou.


Sobre a escolha do seu vice, Duarte repetiu que a decisão sairá apenas “nos 45 (minutos) do segundo tempo”.

Jornal Midiamax