Política

Delcídio trabalha para atrair o apoio do PMDB em 2014

Pré-candidato ao Governo do Estado, o senador Delcídio do Amaral (PT) deixou claro, em ato do PT no último final de semana, não ter desistido de conquistar o apoio do PMDB nas eleições de 2014. A expectativa do parlamentar é reproduzir aliança nacional com os peemedebistas para dar fim a rivalidade entre os partidos em […]

Arquivo Publicado em 23/07/2012, às 19h01

None
1177296201.jpg

Pré-candidato ao Governo do Estado, o senador Delcídio do Amaral (PT) deixou claro, em ato do PT no último final de semana, não ter desistido de conquistar o apoio do PMDB nas eleições de 2014. A expectativa do parlamentar é reproduzir aliança nacional com os peemedebistas para dar fim a rivalidade entre os partidos em Mato Grosso do Sul.


“Quem é candidato tem que trabalhar para armar o maior leque de aliança possível e eu vou continuar trabalhando por isso, independentemente do partido que queira vir me acompanhar neste projeto”, declarou Delcídio, em resposta à indagação se iria buscar o apoio dos tracionais rivais na sucessão estadual.


Em comparação a corrida pelo comando da Prefeitura de Campo Grande, maior colégio eleitoral do Estado, o senador informou ainda não querer a pulverização de candidaturas, mas a de parceiros na sucessão estadual. “Eu quero a pulverização de aliados”, afirmou. Na Capital, a estratégia do PT foi incentivar o maior número possível de candidaturas a prefeito para levar a disputa ao segundo turno.


Aproximação com os rivais


Já em alguns municípios do interior, o grupo de Delcídio chegou a ser acusado de tentar facilitar a vida dos governistas. Segundo o ex-suplente do senador, Antonio João Hugo Rodrigues (PSD), o petista teria realizado reunião secreta com o governador André Puccinelli (PMDB) para tramar a derrota do grupo do ex-governador Zeca do PT em cidades estratégias.


No pacote, teria entrado Três Lagoas, onde o grupo do senador, de última hora, defendeu aliança com a candidata governista, Márcia Moura (PMDB). A decisão, inclusive, levou Antonio João a botar a boca no trombone e revelar a suposta reunião de Puccinelli com Delcídio.


O governador, inclusive, já cogitou apoiar o petista. Para ele, se as pesquisas apontarem o favoritismo do senador não há motivos para deixar de atender a vontade popular e reproduzir a aliança nacional do PMDB com o PT. A declaração não agradou nenhum pouco o prefeito Nelsinho Trad, pré-candidato do PMDB à sucessão estadual.

Jornal Midiamax