Política

Puccinelli constrange moradores isolados pela chuva: ‘até 2042 tá tudo consertado’, disse

"Se alguém ficar doente aqui e precisar ir para a cidade vai morrer", comentou uma moradora na região onde duas mil famílias estão isoladas. "Até 2042 vai tá tudo consertado", disparou Puccinelli para ouvintes apreensivos e preocupados.

Arquivo Publicado em 16/03/2011, às 11h50

None
2003050619.jpg

“Se alguém ficar doente aqui e precisar ir para a cidade vai morrer”, comentou uma moradora na região onde duas mil famílias estão isoladas. “Até 2042 vai tudo consertado”, disparou Puccinelli para ouvintes apreensivos e preocupados.

Causou constrangimento entre moradores o tom ‘descontraído’ que o governador André Puccinelli usou para falar dos danos causados pelas chuvas intensas na região entre Nova Andradina e Ribas do Rio Pardo. “Puccinelli brincou com a situação do Estado após as chuvas”, noticiaram veículos da imprensa local.


Mais de duas mil famílias estão isoladas na região após a queda de uma ponte. Os moradores estão desesperados com a situação.  “Se alguém ficar doente aqui e precisar ir para a cidade vai morrer”, comentou uma moradora. “Até 2042 vai tudo consertado”, disse Puccinelli para ouvintes apreensivos e preocupados.


Com a queda das pontes nos km 117, 190 e 152 da BR-267, famílias estão sendo transportadas de barco. Sem ajuda oficial, os moradores estão fazendo o que podem. Nos 75 metros onde ficava a ponte do km 152, cerca de cinco barcos de produtores da região auxiliam os moradores na travessia. Todo o trabalho realizado é feito de forma voluntária.


Rodrigo, um dos voluntários, diz que nunca viu nada parecido na região. De acordo com ele, os moradores mais antigos também se assustaram com a cheia. “Tem um senhor que mora aqui a mais de 25 anos e disse que nunca viu nada igual ao que está acontecendo”, comentou.


Após conseguirem passar pelos pontos alagados, os moradores enfrentam outro problema; a intrafegabilidade. O trecho de terra encontra-se praticamente intransitável. Além disso, muitas famílias passam horas esperando caronas à beira do rio para poderem ir à cidade.


Sobre a recomendação que recebeu do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para que deixe de gastar com pontes de madeira e passe a construir pontes de concreto, o governador de Mato Grosso do Sul também respondeu com ironia. Segundo Puccinelli, o total de R$ 5 milhões liberados pelo Governo Federal “não dá para tapar uma cárie de dente”.


“Prioridade é escoar a safra”


No ano passado, o governador havia prometido a servidores e alunos do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) que a rodovia MS-473 – que liga a cidade aos bairros Papagaio, Laranjal, São Bento e ao campus do Instituto em Nova Andradina – seria cascalhada a partir do mês de março, além de elevada a rodovia.”


No entanto, Puccinelli informou nesta terça-feira ao diretor-geral do IFMS de Nova Andradina, José Junio Rodrigues de Souza, que devido os estragos causados pela chuva, os trabalhos na via serão adiados, mas finalizados até o final do ano. “A prioridade nossa é o escoamento da área de produção”, afirmou André.


Na época em que prometeu a manutenção da MS-473, o governador fez a mesma ‘brincadeira’ com os servidores e alunos do IFMS, afirmando que a pavimentação da rodovia também seria feita apenas em 2042. (Com informações do NovaNews, e trechos de Marcos Daniel Santi)

Jornal Midiamax