Política

Prefeito reage à acusação de ser mandante e nega envolvimento em morte de vereador

Manoel Nunes, de Alcinópolis, distribuiu uma nota negando qualquer participação no crime; vereador foi assassinado a tiros em Campo Grande. Polícia prendeu três pessoas, uma delas confessou ter matado o parlamentar

Arquivo Publicado em 22/03/2011, às 16h55

None
392162297.jpg

Manoel Nunes, de Alcinópolis, distribuiu uma nota negando qualquer participação no crime; vereador foi assassinado a tiros em Campo Grande. Polícia prendeu três pessoas, uma delas confessou ter matado o parlamentar

O prefeito de Alcinópolis, Manoel Nunes, negou participação na morte do vereador Carlos Antonio Carneiro, ocorrida em outubro do ano passado. Por meio de nota de esclarecimento, taxou como “levianas” as declarações do vice Alcino Carneiro, pai do vereador assassinado, e que afirmou ser o prefeito o mandante do crime.


Nunes argumentou que manteve o silêncio durante os cinco meses depois da morte do vereador em respeito ao luto da família e ao trabalho de investigação policial. “Nada, absolutamente nada tenho e nunca tive a ver com esse bárbaro crime que abalou nossa cidade”, disse, completando que nunca vivenciou qualquer episódio em que tenha havido desrespeito à lei.


“Deixo claro que não fui, não sou e jamais serei culpado desse ou qualquer outro crime”, afirma o prefeito. Manoel encerra a nota dizendo que recorrerá à justiça para “interpelar judicialmente os que me acusam”.

Jornal Midiamax