O congestionamento na BR-163, entre Campo Grande e Anhanduí, continua intenso devido a acidente envolvendo quatro veículos e com cinco mortes. Quem seguia viagem pela rodovia, aguarda a liberação da via no calor de 37°C e sem almoço.

É o caso de muitos caminhoneiros que devido ao fluxo de pare e siga não conseguiram estacionar em local seguro para preparo do almoço. Dessa forma, muitos estão no trânsito desde as 6h, sob sensação térmica de 40°C e sem condições de se alimentar.

Para aliviar a situação, a CCR MSVia que administra o trecho, distribuiu garrafas de água gelada para os motoristas que estão parados no trânsito. Enquanto isso, equipes de resgate atuam na retirada dos veículos envolvidos no acidente, bem como no desencarceramento dos corpos.

Caminhoneiro com 17 anos de experiência afirma que está desde as 6h parado no trânsito. Carregou grãos em Umuarara (PR) e seguia viagem quando parou no congestionamento. “A água dá uma aliviada no calorão, mas dentro do caminhão está muito quente. Por ter pedágio, esperava um suporte maior ao usuário”.

A retirada dos destroços do acidente já dura duas horas e ainda não tem previsão de terminar.

Cinco pessoas morreram em acidente

Uma ultrapassagem indevida feita pela carreta que transportava porcos causou o acidente na BR-163, próximo a Anhanduí, com cinco mortos, entre eles um casal, Daniel e Fernanda Lopes, que viajava para Santa Catarina. O acidente aconteceu entre duas carretas, um caminhão pequeno e um carro de passeio, Ônix.

O delegado Willian Rodrigues, da Depac Cepol, que atendeu ao acidente, disse que o motorista do caminhão dos porcos tentou a ultrapassagem e acabou batendo nos outros veículos que vinham no sentido contrário. Ainda de acordo com o delegado, mais vítimas podem ser identificadas.

“Trabalho que vai demorar horas devido à gravidade do acidente”, disse o delegado, que explicou que ainda espera pela retirada da parte da carga da rodovia para que toda a dinâmica do acidente seja concluída. 

A carga de porcos seria de 210 animais, sendo que a maioria morreu no acidente. Ainda não há a identificação das outras vítimas. O casal do carro de passeio foi identificado inicialmente como Daniel e Fernanda Lopes.