Polícia / Trânsito

Patrão estranha atraso de funcionário e identifica vítima de acidente com PF

Ele seguia para o serviço no momento da colisão

Renata Portela Publicado em 10/11/2015, às 12h52

None
img-20151110-wa0006.jpg

Ele seguia para o serviço no momento da colisão

Identificado como Antônio Muniz, de 56 anos, o motorista do Classic branco que se envolveu no acidente com a viatura da Polícia Federal na manhã desta terça-feira (10), na saída para Três Lagoas. O motorista morreu no local quando seguia para o serviço e foi reconhecido e identificado pelo patrão.

De acordo com Genésio Ferreira, chefe de Antônio, a vítima trabalhava como funileiro há 15 anos, na empresa Tipo Original Peças e Serviços. Segundo o patrão, Antônio morava no Nova Lima, era casado e a mulher tem um filho de 8 anos, que ele deixava na escola todos os dias antes de seguir para o serviço.

Ainda conforme informações de Genésio, o funcionário era sempre o primeiro a chegar na empresa e ele estranhou o atraso na manhã desta terça-feira. Ao saber do acidente, o homem foi até o local e identificou a vítima, que ficou presa nas ferragens. O Corpo de Bombeiros tenta fazer a retirada do corpo de Antônio do carro e fará uso do desencarcerador.

Estão no local do acidente a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Perícia da PF, Corpo de Bombeiros e CCR MSVia. A rodovia está interditada no trecho da Uniderp Agrárias, nos dois sentidos, e não há previsão para que seja liberada.

Jornal Midiamax