Polícia / Trânsito

Motorista admite ter tomado cerveja e vodka antes de se envolver em acidente com morte

Diogo Machado Teixeira discorda que acidente tenha sido causado por bebida. “Cometi outra infração”, afirmou, ao dizer que mexia no celular

Arquivo Publicado em 14/02/2013, às 20h36

None

Diogo Machado Teixeira discorda que acidente tenha sido causado por bebida. “Cometi outra infração”, afirmou, ao dizer que mexia no celular

Quatro cervejas e duas doses de vodka. É o que Diogo Machado Teixeira, 36 anos, confessou ter bebido antes de se envolver em um acidente que resultou na morte de uma pessoa, e em mais dois feridos. Diogo, que conduzia uma caminhonete Mitsubishi L-200, nega que a bebida seja responsável pelo acidente.
“Eu admito que estava mexendo na bateria do celular”, afirmou Diego, que se disse proprietário rural durante a entrevista, realizada na 1ª Delegacia de Campo Grande no fim da tarde desta quinta-feira (14). “A noite começou em um lugar, onde bebi algumas doses. Eu não estava bêbado”, garantiu.
Segundo o delegado Wellington de Oliveira, da 1ª Delegacia de Campo Grande e que cuida do caso, o teste de alcoolemia dele registrou 0,59 mg/l – considerado embriaguez. “Perante a lei, é o dobro do que a legislação permite”, ressaltou o delegado.
De forma direta e ríspida, Diogo confessou ter bebido e ainda questionou os presentes na entrevista. “Quem aqui nunca bebeu um pouco e dirigiu, vocês só não foram pegos”. Mesmo confessando o consumo de bebidas alcoólicas, o proprietário rural acredita que o acidente não tem relação com o fato.
“Eu estava mexendo no celular, o que impediu de ver se o sinal estava aberto ou fechado”, respondeu Diogo, ao ser perguntado se estava “furando” os sinais vermelhos. O motorista também admite que estava um pouco acima da velocidade permitida. “Mas não em uma velocidade absurda, não sei em quanto estava, não vi, mas a perícia vai mostrar isso”, comentou.
Diogo ainda negou a possibilidade, levantada pela polícia, de que estaria realizando um “racha”. Ele afirmou que nunca fez qualquer disputa deste tipo, e que sequer conhecia o veículo, um Honda Civic Preto, que estava atrás dele, e é apontado como o possível “concorrente” de Diogo na corrida.
O acidente ocorreu por volta das 3h30 de segunda-feira (11), no cruzamento da avenida Afonso Pena com a rua Bahia, e vitimou o pernambucano José Pedro Alves da Silva, de 22 anos. Diogo conduzia uma caminhonete quando bateu em um taxi, onde estava, além de José, Ramon Rudiney Tenório, de 21 anos, e o taxista Sebastião Mendes Rocha, de 51. Ambos foram socorridos e encaminhados à Santa Casa de Campo Grande, e estão gravemente feridos.
“O meu sentimento é de profundo pesar, de tristeza, mas garanto que estamos prestando a devida assistência às vítimas”, afirmou Diogo, que completou afirmando que irá “levantar uma bandeira” contra o álcool e direção.
Jornal Midiamax