Polícia / Trânsito

Policial Civil se envolve em acidente com motociclista sem CNH

No sábado, 23, uma policial civil lotada na delegacia de Costa Rica se envolveu em acidente de trânsito com uma jovem que trafegava de motocicleta. Juliana Martins Novaes, 22 anos, passou por uma intervenção cirúrgica de emergência na mesma cidade e depois foi transferida para um hospital particular de Campo Grande. Segundo relato da mãe […]

Arquivo Publicado em 29/10/2010, às 21h40

None

No sábado, 23, uma policial civil lotada na delegacia de Costa Rica se envolveu em acidente de trânsito com uma jovem que trafegava de motocicleta. Juliana Martins Novaes, 22 anos, passou por uma intervenção cirúrgica de emergência na mesma cidade e depois foi transferida para um hospital particular de Campo Grande.

Segundo relato da mãe de Juliana, Geralda Martins Ferreira do Carmo, a filha tinha deixado três filhas em sua casa e aproveitou para fazer compras. No trajeto, a jovem foi atropelada por um veículo modelo Corolla, que era dirigido pela policial civil Joelma Belchior da Silva. A informação foi confirmada pelo delegado titular de Costa Rica, Cleverson Alves dos Santos.

Geralda Martins não presenciou o fato, mas afirma que testemunhas contaram que Juliana caiu embaixo do carro com a moto e depois foi atropelada. Ela quebrou o fêmur direito e o joelho esquerdo em quatro partes.

Depois de atropelar Juliana, a policial permaneceu no local e também a acompanhou até o hospital da cidade. “Ela (policial) nem ligou pra família pra dar a notícia. A Juliana que pediu para terceiros entrar em contato com a gente”, lamenta.

Segundo a mãe, Juliana estava bastante otimista porque iria começar a trabalhar em uma loja de roupas nos próximos dias. Agora ela vai ter que aguardar mais uma cirurgia e depois passar pelo processo de reabilitação.

O transtorno de Juliana só não é maior porque seus esposo, Anselmo Rodrigues tem um plano de saúde que cobre parcialmente os gastos.

”Depois do acidente a policial ligou pra mim dizendo que não podia fazer muita coisa, apenas que daria frutas para as crianças e remédios pra Juliana. Recusei porque a gente nem sabe ainda do que a Juliana vai precisar. Espero que futuramente ela tenha disposição de realmente ajudar no tratamento”, finaliza a mãe.

CNH

O delegado Cleverson Alves disse que Juliana não possui Carteira Nacional de Habilitação e que, portanto, vai responder por isto. Sobre a policial, o delegado informou que não tem como ela responder administrativa, pois se envolveu no acidente quando estava de folga.

Jornal Midiamax