O falsário preso nessa segunda-feira (22) no Paraguai, que era procurado pela Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal), Alcides Meireles Morais, 48 anos, conhecido como ‘Cientista’, também era lutador de boxe.

O criminoso tinha dupla nacionalidade, residia em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, mas foi preso em Mariano Roque Alonso. ‘Cientista’ também era considerado um falastrão e vivia postando desafios a lutadores famosos pelas redes sociais.

Antes de localizado pela Polícia Nacional, Alcides chamou o brasileiro Acelino Freitas, o Popó, para um combate. “Sei que você já foi um grande campeão na sua vida. Só que você nunca enfrentou um paraguaio, um verdadeiro leão guarani”, disse o criminoso.

“Sei que você vive dando soco em melancia, em abacaxi. Mas aqui nóis é desenhista. Vou desenhar uma maçã no seu olho rapaz. Vou nocautear você cara e depois vou pegar o Conor McGregor”, fazendo referência ao lutador irlandês.

Alcides era procurado ela justiça brasileira por falsificação de moeda, tipificado no artigo 289 do Código Penal Brasileiro. Segundo informações policiais, em 2006, em Pedro Juan Caballero e também em Ponta Porã, ‘Cientista’ teria espalhado grande quantidade de notas falsas de Real.